O Mountain Bike Como Ferramenta da Psicomotricidade Para a Lateralidade na Educação Física Escolar

Por: Emistócles Damasceno Silva e Péricles Maia Andrade.

IX Congresso Brasileiro de Atividades de Aventura - CBAA - 3º CIAA - Congresso Internacional de Atividades de Aventura

Send to Kindle


Resumo

As transformações ocorridas na Educação Física Escolar não ficaram no passado, há um movimento constante para a diversificação de seu conteúdo, seja na lógica formal, ou sob a forma de novas estratégias para prover o aprendizado a partir da realidade especifica de cada local, assim, o Mountain Bike, um esporte de aventura, permite uma maior amplitude de movimentos e vivências. Sua ação na escola permite diversas ações frente à psicomotricidade, além de outros conteúdos, respeitando as vivências anteriores dos alunos em seu ambiente comum. A escolha do tema se deu pela afinidade com a prática e vivência do Mountain Bike em seus diversos âmbitos, tanto competitivo quanto recreativo em escala profissional e amadora, tendo por princípio os fundamentos básicos do ciclismo, aliado à inserção no Centro de Estudos em Gestão do Esporte e Lazer (CEGEL) da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) e visualização do potencial da modalidade no auxílio ao desenvolvimento psicomotor das crianças. O objetivo desta pesquisa foi evidenciar a eficácia do Mountain Bikecomo ferramenta da psicomotricidade na educação física escolar diante da valência psicomotora da lateralidade. A Metodologia se baseou na Bateria Psicomotora (Fonseca, 1995) para análise da psicomotricidade antes e depois do semestre letivo em 10 alunos do ensino fundamental, com idades entre 9 e 10 anos, em uma escola pública da zona rural de Jequié-Ba a partir da aplicação dos conteúdos do Mountain Bike. Os resultados mostram que houve uma evolução significativa da noção de lateralidade nos alunos após quatro meses de aula: Quatro perfis pscicomotores foram analisados a partir de quatro variáveis, Lateralidade Ocular, Lateralidade Auditiva, Lateralidade Manual e Lateralidade Pedal; dois menos desejados, Apráxicos e Dispráxicos, tiveram redução de 10% e 40% respectivamente, já os mais desejados, Eupráxicos e Hiperpráxicos, aumentaram em 10% e 40% quando comparado com o teste feito antes das aulas. No comparativo entre sexos, houve evolução expressiva do sexo feminino para Hiperpráxico, 90% contra 40% masculino.Estes dados evidenciam que o MoutainBike é uma ferramenta eficaz para a evolução da lateralidade em crianças na faixa etária estudada nesta amostra.

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.