O Papel da Brincadeira no Desenvolvimento da Criança com Transtorno do Espectro Autista (TEA)

Por: e Juarez Oliveira Sampaio.

XXI Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte e VIII CONICE - CONBRACE

Send to Kindle


Resumo

INTRODUÇÃO

O objetivo deste texto é apresentar aspectos de uma pesquisa de doutorado em andamento vinculada ao programa de pós-graduação da Faculdade de Educação Física da Universidade de Brasília. Estamos no início da análise dos dados que construímos ao longo de 2018. O estudo tem a intenção de investigar as influências do brincar no desenvolvimento da linguagem de crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA). E, nessa perspectiva, identificar e descrever o desenvolvimento das formas de linguagem (verbal e não verbal) dessas crianças durante aulas de educação física, nas relações estabelecidas com seus pares, com os adultos e com os objetos (espaços e equipamentos). Nessa investigação, os pequenos com TEA estão inseridos em grupos de crianças com o desenvolvimento típico, em aulas de educação física. Para tanto, foi criado um projeto de extensão denominado Brincando e Aprendendo. À luz da interpretação parcial dos dados, podemos concluir que uma vez minimizadas as dificuldades de interações sociais dos pequenos com TEA, consequentemente, materializam-se internalizações de condutas culturais mais complexas (acervo da cultura corporal, linguagem gestual e oral, diversificação de interações sociais etc.). Com isso, ampliamos suas possibilidades de humanizarem-se e de se tornarem sujeitos mais independentes em suas relações com o mundo que o cercam.

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.