O Paradoxo do Jogo Português: a Omnipresença do Futebol e a Ausência de Espectadores dos Estádios

Por: João Nuno Coelho e Nina Clara Tiesler.

Análise Social - n.179 - 2006

Send to Kindle


Resumo

O futebol é, sem dúvida, um fenómeno omnipresente na vida portuguesa. Pode mesmo falar-se de «futebolização» da sociedade portuguesa, mas, paradoxalmente, a profunda centralidade social do futebol em Portugal coexiste com uma realidade oposta: os níveis de assistência aos jogos «ao vivo» surpreendentemente baixos. Neste artigo destacam-se e analisam-se algumas das particularidades da formação social do futebol em Portugal, exactamente a partir daquelas realidades aparentemente paradoxais. Debruçando-se sobre dados acerca das assistências nos estádios desde os anos 1980, os autores desenvolvem seis factores/argumentos que poderão ajudar a explicar este paradoxo do jogo português, concluindo que as duas realidades em questão não são completamente contraditórias e que, em certa medida, acabam por se determinar mutuamente.

Endereço: http://www.scielo.gpeari.mctes.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0003-25732006000200010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.