O Processo de Construção do Bem-estar e a Qualidade de Vida Durante a Formação em Educação Física e Suas Perspectivas de Futuro à Luz da Psicologia Positiva

Por: Marcio Alessandro Cossio Baez.

153 páginas. 2015 11/08/2015

Send to Kindle


Resumo

Este estudo quanti-qualitativo tipo levantamento, de natureza transversal, buscou estudar o processo de formação discente e docente, no qual acadêmicos em Educação Física da Universidade Federal do Pampa, em Uruguaiana-BR, responderam sobre estrutura da universidade, formas de superar os desafios inerentes de sua formação inicial, construção de seu bem-estar, sua qualidade de vida e seu posterior florescimento, com fundamentos na Psicologia Positiva. Objetivo foi investigar as vivências pessoais e profissionais de licenciandos em Educação Física e a passagem para o mundo do trabalho, analisando dados e relatos sobre aspectos do bem-estar do discente que se torna docente, sua qualidade de vida, afetos positivos e negativos e a autoimagem e autoestima durante este processo de formação. Primeiramente, 100 acadêmicos distribuídos em quatro semestres letivos responderam a instrumentos que avaliaram motivação inicial e apoio pedagógico, modelo de formação educacional, resultados profissionais, apoio para o estágio, autoimagem e autoestima, afetos positivos e negativos (pelo Panas), a avaliação do bem-estar subjetivo, qualidade de vida (pelo Whoqol-bref). Na segunda fase, do total foram entrevistados 14 acadêmicos que responderam a questionamentos sobre sua formação e construção de estratégias para construção do bem-estar. Posteriormente foram entrevistados mais 4 ex-acadêmicos, recém-formados, sobre as experiências após a sua formação e inserção no mercado de trabalho.Nos dados quantitativos obteve-se os seguintes resultados: Avaliação da Motivação Inicial e Apoio Pedagógico, média geral de 26,16 pontos (DP=5,36); no Modelo de Formação Educacional evidenciou-se uma valorização deste processo, com média de 58,85 pontos (DP=7,73); Resultados Profissionais apontaram para uma perspectiva positiva quanto ao futuro profissional, com média de 29,28 pontos (DP=3,65); no Apoio no Estágio dos acadêmicos de Educação Física os resultados foram de 49,69 pontos (DP=8,75); em Autoimagem e Autoestima dos acadêmicos de Educação Física em seu processo de formação a média foi 178. 05 pontos (DP=21,48); nos Afetos Positivos e Negativos, utilizando o Instrumento Panas, as médias gerais ficaram em 36,13 (DP=5,09) para afetos positivos e 23,50 (DP=6,60) para afetos negativos; na avaliação Bem-Estar Subjetivo Afeto Positivo a média foi 3,62 (DP=0,60), seguido pela satisfação com a vida, média de 3,00 (DP=0,31) e pelo Afeto Negativo 2,11 (DP=0, 62). No escore geral a média obtida foi de 2,91 (DP=0,25); no que se refere à Qualidade de Vida Geral, a média total (ou escore de Qualidade de Vida Geral) é de 4,04 pontos com (DP=0,61) (equivalente a 80,8% de positividade da escala); no que se refere a Satisfação com a Vida Geral a média foi 3,84 (DP=0,84), representando 76,8% de positividade; nas médias dos domínios do Whoqol-Bref: os domínios que apresentaram valores positivos foram o de relações sociais, média de 71,66 (DP=17,10), e o físico, média de 71,31 (DP=14,79), depois o psicológico, com média de 69,11 DP=(14,20), porém o domínio relacionado ao meio ambiente registrou média de 60,95 (DP=14,23), demonstrando uma distorcida percepção, que pode ser relacionada às condições de estrutura do curso que ainda está em estruturação e demandando em condições que ainda não as ideais para a realização de atividades práticas.Identificou-se que os melhores preditores independentes para o Bem-Estar Positivo são as variáveis Satisfação com a Vida percebida, do instrumento de Albuquerque e Trocolli (2004), (OR=113,087; p<0,001), Panas Negativo (OR=1,2,18; p<0,001), Domínio Relações Sociais do Whoqol-Bref (OR=1,050; p=0,009), Panas Positivo (OR=1,186; p<0,006) e a variável sexo masculino (OR=0,312; p=0,041). Nos dados qualitativos evidenciou-se que, quanto à formação da identidade discente, relatam que ela se dá como uma realidade que evolui e se desenvolve constantemente, tanto pessoal como coletivamente, não é algo que já se possua mas algo que se desenvolve durante a vida. O desenvolvimento da identidade acontece no terreno do subjetivo e se caracteriza como um processo evolutivo, de interpretação de si mesmo como pessoa, no contexto estudado. Como a construção do bem-estar na Educação Física está vinculada tanto à existência de características pessoais como de condições contextuais externas e, nesse sentido, espera-se que as reflexões aqui apresentadas possam oferecer subsídios para que se pense a formação na perspectiva mais coerente com as necessidades dos professores e da sociedade contemporânea. Para os recém-formados o processo de inserção em um mundo de trabalho oferece uma série de desafios e obstáculos em que estes jovens profissionais têm que fazer escolhas e buscar formas de superar os desafios da inserção, ressaltando que os estágios, para a grande maioria dos professores recém-formados, são de suma importância para reconhecerem-se enquanto profissionais, sendo o momento de viver e comportar-se como docente, motivando positivamente o aluno para exercer a profissão, demonstrando ser excelente ferramenta para ajudar na construção da trajetória docente de modo positivo.

Endereço: http://hdl.handle.net/10923/7616

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.