O Rio de Janeiro e o Corpo do Homem Fluminense: o Não-lugar da Ginástica Sueca

Por: .

Revista Brasileira de Ciências do Esporte - v.25 - n.1 - 2003

Send to Kindle


Resumo

O presente estudo parte do pressuposto de que a ginástica sueca não foi hegemônica no cotidiano do Rio de Janeiro oitocentista. Tratou-se, então, de buscar os motivos que levaram o corpo do homem fluminense a rejeitar essa prática corporal, tornando o Rio de Janeiro o não-lugar da ginástica. Ao olhar para o corpo do homem fluminense encontrou-se ali uma "alma" incompatível com os preceitos de uma ginástica racional, que idealizava e esquadrinhava os corpos. Para melhor enxergar essa rejeição, dialogou-se com a capoeira, prática disseminada e adorada pelo homem comum. Buscou-se, nesse diálogo, elementos para compreender a gramática corporal do corpo masculino fluminense, permitindo entender, no plano do sensível, por que a ginástica sueca não fluiu nesse corpo.

Endereço: http://rbceonline.org.br/revista/index.php/RBCE/article/view/173

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.