O Salto Vertical Não é Alterado Imediatamente Após a Eletroestimulação Transcutânea de Média Freqüência

Por: Daniel Quilici Mola, Denise Elena Grillo, Fábio Yuzo Nakamura e Rômulo Cássio de Moraes Bertuzzi.

Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte - v.7 - n.1 - 2008

Send to Kindle


Resumo

O propósito desse estudo foi analisar o efeito agudo da eletroestimulação transcutânea (ET) no salto vertical (SV). A altura do SV de nove sujeitos foi mensurada na situação controle e após cinco minutos de ET. Além disso, a atividade neural periférica foi determinada pela raiz quadrada média do sinal eletromiografico (RMS) obtido antes e durante o SV. Não foram encontradas diferenças significativas do SV após a ET (p > 0,05). O RMS permaneceu inalterado na maioria das situações, com exceção da perna esquerda durante o SV após a ET (p < 0,05). Esses resultados indicam que, embora a ET tenha modificado o RMS da perna esquerda, esse estímulo não foi suficiente para potencializar o desempenho no SV.

Endereço: http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/remef/article/view/1220

Tags: Nenhuma cadastrada :(

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.