O Técnico de Judô: Um Estudo Comparativo Após 10 Anos da Regulamentação da Educação Física

Por: ágata Cristina Marques Aranha, , Antonio Carlos Tavares Juinior, Franz Eric de Goes Cressoni, , e Reinaldo Naia Cavazani.

Revista Brasileira de Ciência & Movimento - v.21 - n.3 - 2013

Send to Kindle


Resumo

A regulamentação da profissão Educação Física, por meio da Lei 9.696 de 1o de setembro de 1998, deu origem a importantes reflexões a respeito do processo de formação dos instrutores/técnicos das modalidades de lutas/artes marciais e sua relação com a Educação Física. Neste contexto, Tavares Junior (2003) desenvolveu um estudo com o objetivo de investigar o estado da arte dos técnicos de judô do Estado de São Paulo durante o inicio do relacionamento entre os conselhos profissionais e as federações esportivas de lutas, incluindo os cursos de adequação profissional para provisionados que se encontravam em fase de finalização. Dessa maneira, nove anos após a realização do estudo de Tavares Junior (2003), a presente pesquisa objetivou investigar as mudanças decorrentes dos dez anos da formação do Conselho Regional de Educação Física do Estado de São Paulo (CREF 4 – SP), em relação aos dados iniciais da pesquisa realizada por Tavares Junior (2003), na perspectiva da observação longitudinal dos acontecimentos relacionados ao conhecimento e cultura dos técnicos da modalidade de judô no estado de São Paulo. Para tal finalidade, o questionário desenvolvido por Tavares Junior (2003) foi reaplicado em 22 técnicos de judô do interior do estado de São Paulo no ano em que o CREF 4 – SP completou 10 anos. Os resultados demostraram que houve um aumento no número de técnicos de judô graduados em educação física em comparação aos resultados apresentados por Tavares Junior (2003). Contudo, os conhecimentos práticos ou artesanais continuam se configurando como os mais importantes para a atuação destes técnicos. Não partimos do pressuposto que um conhecimento seja mais importante do que outro, porém, esperávamos que as mudanças de perfil, de empíricos para graduados em educação física, fizessem emergir uma fundamentação pedagógica e teórica diferenciada do que foi visto anteriormente por Tavares Junior (2003), fato que não ocorreu.

Endereço: http://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/view/3679

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.