O Tracking da Atividade Física: Um Estudo em Adolescentes do Sexo Masculino

Por: Albrecht L. Claessens, André Seabra, Gaston Beunen, Johan de Fevre, José Antônio Ribeiro Maia, Roland Denson, Rui Garganta e Vitor Pires Lopes.

Revista Brasileira de Ciência & Movimento - v.10 - n.4 - 2002

Send to Kindle


Resumo

Este estudo pretende investigar o tracking da atividade física de adolescentes do sexo masculino recorrendo a um modelo quasi-simplex formulado no seio da modelação de estruturas de covariância. Os dados provêm do estudo de crescimento de Leuven, em que foram seguidos longitudinalmente 588 sujeitos do sexo masculino durante 6 anos. No início do estudo, os sujeitos tinham 12,76 anos de idade média, e no final 17,73 anos. A avaliação da atividade física foi efetuada com recurso de um questionário estruturado e validado. Só consideramos, como indicador da atividade física, o número de horas de prática desportiva formal, independentemente das horas dedicadas à Educação Física. A análise dos dados constou de um modelo quasisimplex de natureza auto-regressiva, permitindo pesquisar diferentes formulações do tracking. Recorreu-se a métodos robustos de estimação de máxima verossimilhança. Verificou-se uma elevada estabilidade da atividade física considerada ano-aano, tracking moderado na adolescência e resultados baixos a moderados na instabilidade intraindividual nas diferenças que ocorrem entre os sujeitos em cada ponto do tempo. PALAVRAS-CHAVE: tracking, estabilidade, atividade física, adolescentes, modelação de estruturas de covariância.

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.