O Trato do Conhecimento da Dança Como Proposta da Educação Física Escolar: Analisando Seus Limites e Suas Possibilidades na Formação de Professores.

Por: Poliana Pimentel Maranhão.

58 Reunião Anual da SBPC

Send to Kindle


INTRODUÇÃO:

O presente estudo insere-se no grupo de pesquisa GEPEFE / LEPEL / UFPE, que parte da problematização da Dança como um dos elementos da cultura corporal presente nos currículos, programas e nas aulas de Educação Física (COLETIVO AUTORES, 1992).

Estudos, sobre o tema Dança, revelam que para a maioria dos professores de Educação Física que tratam deste conhecimento na escola, apresenta-o de forma assistemática, tecnicista e reprodutivista de passos e coreografias, voltada para realização de eventos festivos, caracterizando-a numa prática alienada do contexto sócio-histórico-político-cultural que a produziu, em detrimento de suas possibilidades educativas, expressivas e comunicativas, refletindo as contradições da práxis social. (FERLIN, 1997). As proposições metodológicas adotadas na escola não têm seguido princípios para uma educação criativa, produtiva, autônoma e crítica no trato do conhecimento da Dança. Tais constatações nos remetem a necessidade de reconhecer que conceitos, concepções e propostas teórico-metodológicas têm orientado o trato do conhecimento da Dança nos cursos de formação de professores de Educação Física das Universidades Públicas do Estado de Pernambuco, reconhecendo as problemáticas significativas para o desenvolvimento de proposições crítico-superadoras no trato com o conhecimento da Dança.


METODOLOGIA:

A pesquisa é de natureza qualitativa. Adotamos como procedimento a análise temática e de conteúdo. A análise considerou as relações entre o empírico e o acúmulo teórico e as relações do particular com o geral. Delimitamos como objeto de estudo as monografias de conclusão dos cursos de graduação, das Universidades Públicas do Estado de Pernambuco, UPE e UFPE, no período de 1995 a 2005, em especial, as que tratam da temática Dança no contexto escolar. Primeiramente, verificamos o quantitativo de produções por Universidade como também, o quantitativo das monografias sobre as temáticas da cultura corporal, e assim selecionamos, classificamos e quantificamos as monografias por temática e sub-temáticas sobre a Dança, buscando reconhecer generalizações dos conceitos, concepções e propostas teórico-metodológicas das mesmas. Os dados foram sistematizados em tabelas e gráficos.


 RESULTADOS:

Constatamos os seguintes resultados: do total de 34 monografias que tratam do tema Dança no contexto da escola, a UPE apresentou um percentual de 61% das produções, enquanto o da UFPE foi de 38%. Dessas 34 monografias que abordam a Dança, 35% a tratam enquanto conteúdo da educação física e da escola, com o maior percentual de interesse. As modalidades da Dança (Dança de salão, popular, entre outros) apresentaram um percentual de interesse de 17%. Já o trato da Dança a partir da abordagem cultural apresentou 11% do percentual das monografias. Outras sub-temáticas, como: a Dança e deficiente, a Dança no ensino superior, escolas de Dança e outros apresentaram 8% respectivamente. Ao relacionarmos o trato do conhecimento da Dança com as outras temáticas da cultura corporal na escola (esporte, ginástica, lutas, jogos/brincadeiras e saúde), num total de 54 monografias, constatamos que a Dança se apresenta como a segunda temática mais abordada, com um total de 12 monografias, representando um percentual de 22 % em relação aos 40% do conhecimento esporte e 12% do conhecimento dos jogos e brincadeiras. Já as sub-temáticas da Dança abordadas na escola, das 12 produzidas, encontramos três discussões: a Dança enquanto conteúdo nas aulas de educação física, com 41%; metodologia/ensino da Dança, com 33% e; as com a abordagem cultural com 25 % das produções.

CONCLUSÕES:


A partir dos resultados sistematizados é possível afirmar que: a temática do esporte é a de maior interesse para a produção de monografias, reafirmando estudos anteriores como TAFAREL (1990), CESÁRIO (2000), ALMEIDA (2005), sobre o predomínio da concepção esportivizada da cultura corporal humana nos currículos de formação de professores de Educação Física, indicando que outras abordagens e temáticas acerca da cultura corporal encontram-se carentes no plano na formação de professores, limitando a ação dos professores para o trato da mesma no contexto escolar. No entanto identificamos que a temática Dança apresenta-se quantitativamente como a segunda de maior interesse nas produções das monografias. Dessa forma, constatamos que há uma preocupação dos graduandos em estudar e discutir sobre a Dança na escola, prioritariamente como conteúdo da educação física e o seu trato nas aulas, como um conhecimento importante para a formação humana. Porém, esse dado expressa um paradoxo entre o interesse inicial dos professores em formação com uma produção monográfica quantitativamente significativa e a escassez da Dança e seus limites metodológicos nos programas e currículos escolares. Tais indicadores revelam a necessidade de pesquisas que identifiquem as possibilidades reais e objetivas das condições (organização do trabalho pedagógico / trato com o conhecimento) no trato da Dança nas aulas de Educação Física.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.