O Tripé: Trabalho, Capital e Educação no Contexto das Políticas Educacionais Para a Educação Física

Por: Janaine Welter, e Maristela da Silva Souza.

Kinesis - v.36 - n.1 - 2018

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo procura entender as relações do capital, trabalho e educação no contexto das políticas educacionais para a Educação Física. Este ensaio tem a finalidade de contribuir com as discussões na área, uma vez que existem posicionamentos contraditórios, e, por conseguinte, concepções diferentes de sociedade e formação humana. Na Educação Física as políticas neoliberais também estão presentes e influenciam diretamente a formação inicial – dualidade entre Licenciatura e Bacharelado, na precarização do trabalho formal e informal.

REFERÊNCIAS

 

BIANCHETTI, Roberto Geraldo. Modelo Neoliberal e Políticas Educacionais. 3. Ed. São Paulo: Cortez, 2001, p. 118.

BOTH, Vilmar José. Mudanças no mundo do trabalho e suas mediações na Educação Física. 2009.121 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Educação Física) – Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2009.

BRACHT, Valter. Epistemologia da Educação Física. In Ensaios: Educação Física e Esporte/organizadores Máuri de Carvalho e Adriano Maia. - Vitória, UFES, Centro de Educação Física e Desportos, 1997.

CASTEL, Robert. As metamorfoses da questão social: uma crônica do salário. 9 ed. Petrópolis: Ed. Vozes, 2010.

CATANI, Afrânio Mendes; OLIVEIRA, João Ferreira; DOURADO, Luiz Fernandes. Política Educacional, mudanças no mundo do Trabalho e reforma curricular dos cursos de Graduação no Brasil. Educação

& Sociedade, [S.1.], ano XXII, no 75, Agosto/2001. Disponível em:< http://www.scielo.br/pdf/es/

v22n75/22n75a06.pdf>. Acesso 04, jan. 2017.

CURY, Carlos Roberto Jamil. Educação e contradição. 4 ed. São Paulo: Autores Associados, 1989.

FREITAS, Luiz Carlos. Os reformadores empresariais da educação e a disputa pelo controle do processo pedagógico na escola. Educ. Soc., Campinas, v. 35, nº. 129, p. 1085-1114, out.-dez., 2014. Disponível em:

http://www.scielo.br/pdf/es/v35n129/0101-7330-es-35-129-01085.pdf >. Acesso 05 mar. 2017.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Educação e a crise do capitalismo real. 5ª ed. São Paulo: Cortez, 2003.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Educação, crise do trabalho assalariado e do desenvolvimento: teorias em conflito. In FRIGOTTO, G. (Org.). Educação e crise do trabalho: perspectivas de final de século. 10 ed. Vozes: Petropólis, RJ, 2011, p. 25- 54, 2011.

FRIGOTTO, Gaudêncio A produtividade da escola improdutiva: um (re)exame das relações entre educação e estrutura econômico-social capitalista. 9. Ed. 1 reimpressão. São Paulo: Cortez, 2015, p. 263.

FRIZZO, Giovanni. O trabalho pedagógico como referência para a pesquisa em educação física. Pensar a prática, Góias, v. 11, n. 2, p. 159-167, maio/ago, 2008. Disponível:< http://www.revistas.ufg.br/index.php/

fef/article/viewFile/3535/4097>. Acesso nov. 2014.

FRIZZO, Giovanni. A Organização do Trabalho Pedagógico da Educação Física na escola capitalista. 2012. 264 f. Tese (Doutor em Ciências do Movimento) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

FRIZZO, Giovanni. Objeto de Estudo da Educação Física: as concepções materialistas e idealistas na produção do conhecimento. Revista Motrivivência, Ano XXV, Nº 40, p. 192-206 Jun./2013. Disponível em:

https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/view/2175-8042.2013v25n40p192>.

GENTILI, Pablo. Adeus à escola pública: A desordem neoliberal, a violência do mercado e o destino da educação das maiorias. GENTILI, P. (Org.). Pedagogia da exclusão: Crítica ao neoliberalismo em Educação.

ed. Petrópolis: Vozes, 2010, p. 215-237.

GONZÁLES, Fernando Jaime; FENSTERSEIFER, Paulo. E. Entre o “não mais” e o “ainda não”: pensando saídas do não - lugar da EF Escolar I. Cadernos de Formação RBCE, v.1, n. 1, 2009. Disponível em:. Acesso 14 ago. 2015.

MARX, Karl. Manuscritos econômicos e filosóficos. In: FROMM, E. (Org.). Conceito marxista do homem.

Rio de Janeiro: Zahar, 1983.

MARX, Karl. O Capital: O processo de produção do capital. Vol. I. 31 ed. Rio de Janeiro: Civilização

Brasileira, 2013.

MÉSZÁROS, Istvan. A crise estrutural do capital. Tradução de Francisco Raul Cornejo. 2 ed. São Paulo: Boitempo, 2011.

NOZAKI, Hajime Takeuchi. Educação Física e reordenamento no mundo do trabalho: mediações da regulamentação da profissão. 2004. 399 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, 2004.

PEREIRA, Sueli Menezes. Políticas educacionais no movimento das mudanças no mundo do trabalho. Souza, M. S.; RIBAS, J. F. M.; CALHEIROS, V. C. (Org.). Conhecimento em Educação Física: movimento das mudanças no mundo do trabalho. Ed. UFSM: Santa Maria, RS, 2015, p. 41-58.

PISTRAK, Moisey Mikhaylovich. Fundamentos da Escola do Trabalho. 3 ed. Trad. Daniel Aarão Reis Filho. São Paulo: Expressão Popular 2011, 192 p.

SAVIANI, Demerval. Pedagogia Histórico-crítica: primeiras aproximações. 4 ed. Editora Autores Associados: Campinas, SP, 1994.

SAVIANI, Demerval. Trabalho e Educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação, v. 12 n. 34 jan./abr. 2007. Disponível em:< http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v12n34/a12v1234.pdf>. Acesso em: 01 mar. 2016.

SILVA, T. T. A “nova” direita e as transformações na pedagogia política e na política da pedagogia. FRIGOTTO, G. et al. (Org.). Neoliberalismo, qualidade total e educação. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 1999, p. 9-29.

TAFFAREL, Celi Zulke. A Formação Profissional e as Diretrizes Curriculares do Programa Nacional de Graduação: o assalto às consciências e o amoldamento subjetivo. Revista Da Educação Física/UEM 9(1):13-23, 1998. Disponível em:< http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/

view/3823/2635>. Acesso em: 12 ago. 2015.

TAFFAREL, Celi Zulke. Do Trabalho em geral ao Trabalho Pedagógico: contribuição ao debate sobre o trabalho pedagógico na educação física. Motrivivência, Ano XXII, Nº 35, P. 18-40 Dez./2010.

Disponível:. Acesso em: 12 nov. 2014.

TORRES, C. A. Estado, privatização e política educacional – Elementos para uma crítica do neoliberalismo. GENTILI, P. (Org.). Pedagogia da exclusão: Crítica ao neoliberalismo em Educação. 17. ed. Petrópolis: Vozes, 2010, p. 103-128.

WELTER, J. As Diretrizes Curriculares Nacionais na formação inicial em Educação Física: realidade e possibilidades. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria, RS, 2017.

Endereço: https://periodicos.ufsm.br/kinesis/article/view/26332

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.