O Valor Social do Brincar Para a Criança: Análise da Brincadeira de Rua na Comunidade da Cachoeira Guarujá S.p.

Por: Regina Rodrigues da Costa.

105 páginas. 2010 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

Este estudo aborda o Valor do Brincar para a criança, seu objetivo foi investigar os sentidos e os significados da brincadeira de rua para crianças entre 9 e 11 anos, conceituadas pelos profissionais da equipe de educação de rua da Secretaria Municipal de Assistência Social de Guarujá como brincantes de rua,residentes no Bairro da Cachoeira,localizado no município de Guarujá,Estado de São Paulo.Atendendo os objetivos propostos na pesquisa,com base no estudo qualitativo, os dados foram coletados por meio de entrevistas semi-estruturadas e aplicadas no próprio espaço da rua entre setembro e novembro de 2009.O brincar é entendido como um dos pilares do processo de construção das relações entre a criança e o mundo que possibilita uma identidade construtiva presente no modo de ser,pensar e agir para apropriação critica do mundo.A investigação parte da compreensão de como as crianças definem a condição de ser criança ,e suas representações sobre brincar.A análise crítica apreende as questões concretas que levam a aproximação das crianças com a rua,revelando os sentimentos que emergem dessa experiência social.As formas concretas de realização da brincadeira diante das condições impostas pelo espaço público,o confronto entre o brincar sonhado e o vivido na cotidianidade.Afinando a análise no valor do conteúdo e contribuições da brincadeira para a formação social da criança,aponta as implicações e o impacto da experiência para suas vidas Como resultado da pesquisa, conclui-se que certamente brincar na rua propicia uma experiência social lúdica,embora,não possa ser considerada como uma experiência totalmente satisfatória,dotada de um conteúdo capaz de contribuir com um aprendizado, fortalecendo a subjetividade da criança.Em razão das condições impostas pelo ambiente de rua,conferido no risco com os acidentes,a violência urbana e o desrespeito humano, a brincadeira de rua que deveria ser desenvolvida como atividade espontânea,passa a ser uma atividade alienada e alienante na simplificação dos jogos e brincadeiras em função das restrições dos espaços para brincar.Desta forma,oferece reduzidas contribuições para a construção do imaginário social da criança,comprometendo sua aproximação com o conteúdo de um universo informacional capaz de induzir a compreensão crítica da vida cotidiana,o exercício entre compreender e lidar com o mundo real.

Endereço: https://sapientia.pucsp.br/handle/handle/17498

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.