Obesidade Impacta Negativamente a Força Muscular de Mulheres Idosas Hipertensas

Por: Aldo Bruno de Silvério e Oliveira, Dahan da Cunha Nascimento, Grazielle Gonçalves da Silva, Ivo Vieira de Sousa Neto, Jonato Prestes, Luciana Leite Melo e Silva, Nathalia Ferreira Camarço, Otavio Vanni Martins de Oliveira, Ramires Alsamir Tibana e Sandra de Oliveira.

37º Simpósio Internacional de Ciências do Esporte - SIMPOCE

Send to Kindle


Resumo

Introdução: A hipertensão é uma doença complexa onde fatores de risco como obesidade estão envolvidos. Na população brasileira feminina a prevalência de excesso de peso acomete 58% da população com idade maior ou igual a 65 anos de idade. Em mulheres de meia idade já se verifica também a sua influência negativa na força muscular. Objetivo: Avaliar se existe uma relação negativa entre o IMC e a força muscular de idosas hipertensas e comparar a força muscular de idosas hipertensas com e sem obesidade. Método: O estudo possui uma característica transversal onde participaram de forma voluntária (amostra de conveniência) 48 idosas (idade mínima de 60 anos, de acordo com a idade estabelecida pela política nacional do idoso – PORTARIA 1395/GM 1999) hipertensas. As idosas foram divididas em dois grupos: grupo com IMC < 30,0 (kg/m²) e IMC ≥

TABELA

Conclusão: O presente estudo apresenta indícios de que o IMC prevê negativamente mudanças na força muscular e pressão arterial de mulheres idosas. Além disso, sugere o ponto de corte de IMC >30 kg/m² como critério prático para avaliar seu efeito negativo na força muscular e pressão arterial de idosas hipertensas.

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.