Oportunidades de Estimulação, Desenvolvimento Motor e Desenvolvimento Social de Crianças no Primeiro Ano de Vida em Diferentes Contextos.

Por: Jactiane Anzanello.

2010 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo foi verificar as oportunidades de estimulação motora em quatro diferentes contextos (Ambiente familiar, Escolas de Educação Infantil/creches, Instituições/abrigos e um Presídio) (artigo 1), descrever o desenvolvimento motor e social das crianças no quatro contextos (artigos 2 e 3) e verificar a associação entre as oportunidades de estimulação presentes nos contextos com o desenvolvimento motor de crianças no primeiro ano de vida (artigo 4). A amostra desta pesquisa foi de 89 crianças com idades entre 0 e 12 meses incompletos (25 crianças no ambiente familiar, 26 crianças nas creches, 23 crianças nos abrigos e 15 crianças no presídio). Os instrumentos utilizados na coleta de dados foram: 1) Affordances in the Home Environment Motor Development (AHEMD-SR); 2) Alberta Infant Motor Scale (AIMS); 3) Questionários estruturados com questões referentes a caracterização das mães, educadoras/cuidadores e responsáveis legais das crianças. Os resultados apresentados no artigo 1, dos quatro contextos de desenvolvimento infantil avaliados, a creche foi o ambiente que ofereceu mais oportunidades para o desenvolvimento conforme avaliado pelo instrumento em todos os quesitos apresentados pelo instrumento e também na quantidade de itens de cada quesito, em relação aos demais contextos avaliados. Em relação ao artigo 2, que avaliou o desenvolvimento motor das crianças nos quatro contextos de desenvolvimento, foi possível verificar que a prevalência de atraso no desenvolvimento motor da amostra estudada foi no ambiente das creches, onde 39% das crianças apresentaram atrasos, seguidas das crianças dos abrigos (30%). As crianças avaliadas no ambiente familiar e no presídio apresentaram maiores percentuais na classificação de normalidade no desenvolvimento motor sendo 48% das crianças do ambiente familiar e 47% do presídio. Em relação ao artigo 3, em que avaliou o perfil social das crianças, foi possivel constatar que as crianças que as mães estiveram presentes (ambiente familiar e presídio) e com quem permaneciam a maior parte do tempo obtiveram melhores desempenhos nas áreas motora e social, quando comparados com crianças que permaneciam em ambientes coletivos na maior parte do dia (creches) ou o dia todo (abrigos). E no artigo 4, foi verificada que houveram poucas associações entre os contextos de desenvolvimento e as variáveis avaliadas pelo AHEMD-SR. O ambiente familiar foi o local que apresentou mais associações entre o desenvolvimento motor e as oportunidades de estimulação motora, e foi o local onde as crianças obtiveram melhor classificação relacionada ao desempenho motor. Conclui-se que os contextos de desenvolvimento (Ambiente familiar e Presídio) em que as relações da criança com um adulto sensível (no caso as mães), capazes de reconhecer as necessidades das crianças e responder a elas adequadamente, constituiram o ambiente mais favorável para o para o desenvolvimento. Questiona-se a adequação das creches e abrigos como ambientes de desenvolvimento, por causa dos possíveis riscos para as crianças, determinados pela incapacidade de prover os tipos de cuidados requeridos para crianças, em especial no primeiro ano de vida.

Endereço: http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/28119

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.