Os Alunos Teriam Que Estudar Para Poder Comprar Comida: a Escola Guarani Como Necessidade, Obrigação e Direito

Por: Carlos Maroto Guerola.

Revista Brasileira de Educação - ANPED - v.22 - n.71 - 2017

Send to Kindle


Resumo

O presente trabalho busca problematizar a visão ocidental de educação enquanto direito humano universal, contrapondo-a às reivindicações guarani à escolarização enquanto direito intercultural. O trabalho parte de uma fundamentação teórica que discute a deslegitimação e o silenciamento das populações indígenas em virtude de suas diferenças em relação ao padrão de experiência e conhecimento ocidentais, assim como a relação dessa deslegitimação e silenciamento com a imposição da necessidade e obrigação universais à escolarização. Com base em uma metodologia de pesquisa qualitativa de cunho etnográfico, são interpretados discursos que servem de insumos para caracterizar o direito intercultural guarani à escolarização, assim como as funções, responsabilidades e práticas de conhecimento que cabem à educação escolar diferenciada guarani do ponto de vista dos professores indígenas da escola da comunidade do Tekoa Itaty, ou aldeia do Morro dos Cavalos (Palhoça/SC). 

Endereço: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_issuetoc&pid=1413-247820170004&lng=pt&nrm=iso

Tags: Nenhuma cadastrada :(

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.