Os Efeitos da Participação Desportiva no Desenvolvimento da Morfologia Ventricular

Por: Aristides Machado-rodrigues, João Valente-dos-santos, Joaquim Castanheira e Manuel João Coelho e Silva.

XVI Congresso de Ciências do Desporto e Educação Física dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

O presente estudo foi desenhado para examinar o desenvolvimento da massa ventricular esquerda (MVE) em jovens adolescentes, sendo dedicada especial atenção aos preditores biológicos longitudinais da MVE. Foi analisado, ainda, o efeito da participação desportiva regular na MVE. Foram observados 110 rapazes (11,0-14,5 anos de idade no início do estudo), bianualmente, num espaço temporal de 2 anos. Consideraram-se variáveis morfológicas (massa corporal, estatura, altura sentado e pregas de gordura subcutânea), maturação (maturity offset) e variáveis ecocardiogáficas. A informação relativa à participação desportiva foi acedida por questionário. Para a análise dos dados longitudinais recorreu-se à modelação multinível. O modelo multinível, com melhor ajustamento estatístico (P<0,05), indica que após controlar para a idade biológica (1 ano = 4,7 ± 1,2 g de MVE), estatura (1 cm = 0,5 ± 0,2g de MVE) e massa magra (1 kg = 1,0 g ± 0,2 de MVE), não se verifica um efeito significativo independente da participação desportiva de não elite na MVE. Os dados não apoiam a premissa de que a participação desportiva, em níveis de não elite, por si só, influencia a MVE. Este resultado assume especial importância na medida em que o desporto de não elite é de fácil acesso à maioria das crianças e jovens e não requer elevados níveis de treino desportivo.

Endereço: http://www.fade.up.pt/rpcd/entradaPT.html

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.