Os Efeitos da Natação e Exercício Resistido a 80% de Uma Repetição Máxima (1- Rm) Sobre a Densidade Mineral óssea em Idosas

Por: Carlos Kemper.

88 páginas. 2003

Send to Kindle


Resumo

O exercício físico com sustentação do peso corporal é essencial para o desenvolvimento ,esquelético normal durante a infância e adolescência; porém, existem controvérsias acerca do ,grau em que o exercício físico tipo resistido reduz o ritmo de perda óssea nas mulheres pósmenopáusicas. Da mesma forma, a literatura é inconsistente para demonstrar possíveis efeitos ,da natação sobre a densidade mineral óssea em indivíduos idosos. Portanto, o presente estudo ,teve como objetivo comparar os efeitos da natação e de exercícios resistidos a 80% de 1-RM ,sobre a densidade mineral óssea em mulheres idosas. Participaram deste estudo vinte e três ,mulheres idosas, voluntárias, com média de idade de 63,9 ± 6,49. Os indivíduos foram ,divididos em dois grupos, o da natação (GNat) com um n = 13, e o de treinamento resistido a ,80% de 1-RM (G80) com um n = 10. O programa de treinamento consistiu de três sessões ,semanais com uma hora de duração cada, durante um período de seis meses. A intensidade ,do exercício resistido foi de 80% de 1-RM e para natação foi utilizado de 60 a 90% da ,frequência cardíaca de reserva. A densidade mineral óssea do Colo do fémur (sítio Trocanter) ,e da coluna lombar (sítio L2-L3-L4) foi mensurada antes e após o treinamento, com o uso da ,Absortometria Radiológica de Dupla Energia (DXA). Os resultados foram analisados ,estatisticamente por meio do teste split-plot ANOVA e o nível de significância estabelecido ,foi de p < 0,05. Os resultados encontrados mostraram que as médias da DM0 pré (0,9250 ± ,0,1506g/cm2) e pós (0,9303 ± 0,1269g/cm2) para natação e pré (0,9739 ± 0,1249g/cm2) e pós ,(0,9737 ± 0,1317g/cm2) no grupo 80% de 1-RM das vértebras lombares (L2-L3-L4) não ,apresentaram diferenças estatisticamente significativas. Da mesma maneira, não foram ,verificadas diferenças significativas entre a densidade mineral óssea do colo do fémur pré ,(0,7784 ± 0,1523g/cm2 e 0,7546 ± 0,1360g/cm2) e pós-treinamento (0,7905±0,1610g/cn/ e ,0,7522 ± 0,1421g/cm2) o GNat e o G80, respectivamente. Portanto, conclui-se que não houve ,diferenças significativas na DM0 de idosas, dentro e entre os grupos experimentais, quando ,da realização de seis meses de treinamento.

Endereço: http://www.nuteses.temp.ufu.br/tde_busca/processaPesquisa.php?pesqExecutada=2&id=1253&listaDetalhes%5B%5D=1253&processar=Processar

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.