Os Filmetes de Divulgação da Campanha Nacional de Esclarecimento Desportivo: Representações de Educação Física no Regime Civil-militar (década de 1970)

Por: Fernanda Cristina dos Santos e .

XV Congresso de História do Esporte, Lazer e Educação Física - CHELEF

Send to Kindle


Resumo

Este estudo analisa representações de Educação Física propagadas pela Campanha Nacional de Esclarecimento Desportivo (CNED) durante o regime civil-militar pós-1964, por meio de peças de divulgação esportiva. Entre essas peças, cinco filmetes, com duração aproximada de 30 segundos cada um, foram veiculados na TV e no cinema. Um desses filmes será aqui abordado, por apresentar elementos relativos à perspectiva de Educação Física predominante naquele contexto, aliados aos propósitos do governo autoritário. O estudo inspira-se em proposições da história política (MOTTA, 2014) e da história cultural (CHARTIER, 1990), buscando problematizar o ideário de Educação Física e de nação daquele contexto, presentes como mensagens publicitárias. Os governos militares pós-1964 empenharam importantes investimentos na Educação Física e no esporte nacional. Diversas ações de incentivo à prática esportiva foram realizadas e, por meio delas, o regime civil- militar produziu uma espécie de alinhamento entre suas proposições de governo e a retórica apresentada pelo campo da Educação Física. Noções como “ordem”, “modernização”, “científico”, “progresso”, “integração”, “nacionalismo” figuraram lugar de destaque nas premissas políticas autoritárias e nos projetos destinados à Educação Física (SANTOS, 2017). Como parte deste alinhamento, o Departamento de Educação Física e Desportos (DED/MEC) criou, em 1971, a Campanha responsável por distribuir peças publicitárias que propagandeavam o modelo de Educação Física defendido pelos militares, a fim de promover a massificação esportiva. No caso dos filmetes, há, em sua composição, uma sequência de imagens e, ao final, é narrada uma única frase. A mensagem verbal busca resumir a cena exibida, reforçando aspectos do ideário do regime propostos para a Educação Física e para a população. Podemos citar a afirmação “No esporte e na vida cada coisa no seu lugar. Ordem para o progresso!”, pronunciada em uma das películas que retrata uma situação de contraposição entre a brincadeira de rua e a prática esportiva realizada em ginásio. Os filmetes exprimem modos de conceber e operar as práticas esportivas, indiciam aspectos de constituição de uma brasilidade, reforçam ideias afeitas ao melhoramento do rendimento e da performance corporal, vinculando-as à saúde para o trabalho e à modernização nacional.

Referências

CHARTIER, R. A história cultural: entre práticas e representações. Rio de Janeiro: Difel, 1990.

MOTTA, R. P. S.. As universidades e ditadura militar: cultura política brasileira e modernização autoritária. Rio de Janeiro: Zahar, 2014.

SANTOS, F. C. Bola em jogo entre Brasil e República Federal da Alemanha: cientificidade e modelagem pedagógica na formação de professores na Escola de Educação Física da UFMG (1963-1982). Dissertação - (Mestrado) - Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Educação. Belo Horizonte, 2017.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.