Os Games Como Representação de Competição e Socialização: Uma Análise Balizada em World Of Warcraft

Por: , Fabiana Della Giustina dos Reis, Larissa Jensen e Nathalia Lutt Lourenço.

Corpoconsciência - v.21 - n.1 - 2019

Send to Kindle


Resumo

A indústria dos games é a terceira maior do mundo em movimentação financeira. Entendendo estes games como práticas de lazer e ainda como derivados dos jogos competitivos formais, o presente estudo objetivou realizar uma investigação sobre a aproximação entre uma prática de lazer comum entre os jovens, os jogos online de múltiplos jogadores, e as suas possibilidades de criar vínculos sociais e gerar emoções. Assim, a intenção é apresentar, de forma analítica, o ambiente virtual no qual o jogador do game World of Warcraft (WoW) está inserido. Logo, a partir dos resultados obtidos, nota-se que a necessidade de exposição a determinadas situações pode permitir que os jogadores sintam diferentes tipos de emoções, inclusive semelhantes àquelas ocorridas nos espaços de práticas corporais convencionais.

Referências

ALONSO, Igor. Os processos de acoplagem nos games online. Dissertação (Mestrado em Comunicação). 89f. 2009. Universidade Anhembi Morumbi, São Paulo, SP, 2009.

BATTAIOLA, André Luiz. Jogos por computador: Histórico, relevância tecnológica e mercadológica, tendências e técnicas de implementação. Anais do XIX Jornada de Atualização em Informática. p. 83–122, 2000.

BLIZZARD. Classificação jogador x jogador. Disponível em: . Acesso em: 27 set. 2018.

BLIZZARD. Sobre a Blizzard Entertainment. Disponível em: . Acesso em: 29 set. 2018.

BLIZZARD. Fóruns. Disponível em: . Acess em: 10 out. 2018.

ELIAS, Norbert; DUNNING, Eric. A busca da excitação: desporto e lazer no processo civilizacional. Lisboa, Portugal: Difel, 1992.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo demográfico: resultados preliminares - Acesso à Internet, 2011. Disponível em: . Acesso em: 15 set. 2018

JENKINS, Leeroy. Leeroy Jenkins. Disponível em: . Acesso em: 25 set. 2018

LAKATOS, Eva; MARCONI, Marina. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1991.

LAPLANTINE, François; TRINDADE, Liana. O que é imaginário. Versão Digital. São Paulo: Brasiliense, 1997. Disponível em: . Acesso em 20 out. 2018.

LOPES, Gilliard. Jogos eletrônicos: conceitos gerais. s/d. Disponível em: . Acesso em: 18 out. 2018.

MARCELLINO, Nelson. Estudos do lazer: uma introdução. 2. ed. Rev. e ampl. Campinas, SP: Autores Associados, 2000.

MARGIS, Regina e colaboradores. Relação entre estressores, estresse e ansiedade. Psiquiatr, Rio Grande do Sul, v. 25, supl. 1, p. 65-74, abr., 2003.

RAVAJA, Niklas e colaboradores. The psychophysiology of video gaming: phasic emotional responses to game events. DiGRA, Vancouver, v. 3, jun., 2005.

REIS, Leôncio. Sozinho, mas junto: sociabilidade e violência no World of Warcraft. Tese (Doutorado em Educação Física). 338f. 2013. Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, 2013.

REIS, Leôncio; CAVICHIOLLI, Fernando. Jogos Eletrônicos e a Busca da Excitação. Movimento, v. 14, n. 3, p. 163-181, set./dez., 2008.

REIS, Leônico. Dos Single aos Multiplayers: a história dos jogos digitais. Licere, v. 17, n. 2, p. 312-350, jun., 2014.

SANTAELLA, Lucia; FEITOZA, Mirna (Orgs.). Mapa do jogo: a diversidade cultura dos games. São Paulo: Cengage Learning, 2009.

SOUZA, Alessandra; KAFURE, Ivette. “O fator emocional no desenvolvimento do jogo”. XI SBGames, Brasília, DF, 2012. Disponível em: . Acesso em: 27 ago. 2018.

THOMAS, Jerry e colaboradores. Métodos de pesquisa em atividades físicas. 6. ed. Porto Alegre, RS: Artmed, 2007.

TOLENTINO, Grassyara e colaboradores. Usabilidade de jogos virtuais e frequência cardíaca de usuários: um estudo comparativo. VIII SBGames. Rio de Janeiro, RJ, 2009. Disponível em: . Acesso em: 30 out. 2018.

TOLENTINO, Grassyara e colaboradores. Usabilidade e consumo de oxigênio em jogos virtuais. A experiência de um First Person Shooter e de um jogo por controle intuitivo. IX SBGames. Florianópolis, SC, 2010. Disponível em: . Acesso em: 01 nov. 2018.

WORLD OF WARCRAFT. Guia do novo jogador: como chegar ao seu destino. Disponível em: . Acesso em: 15 set. 2018.

WOW MESTRE. A História de “Leeroy Jenkins”. 2010. Disponível em: . Acesso em: 19 set. 2018.

ZAGALO, Nelson e colaboradores. Elementos de emoção no entretenimento virtual interactivo. Actas do III Sopcom, VI Lusocom e II Ibérico, v. 1. Portugal, 2004, p.433-441.

Endereço: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/7898

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.