Os Grupos de Dança Popular de Olinda e Recife: Limites e Fronteiras no Século Xxi

Por: Adriana de Faria Gehres e Ana Carolina Marques da Silva.

Pensar a Prática - v.22 - n.1 - 2019

Send to Kindle


Resumo

O estudo objetivou compreender os sentidos e significados de atuação dos Grupos de Dança Popular situados em Recife e Olinda e caracteriza-se por uma abordagem qualitativa do tipo fenomenológico a partir de uma análise de conteúdo, através de entrevistas semiestruturadas presenciais com os responsáveis pelos grupos. Os resultados apontaram para várias camadas de atuação dos grupos. A transmissão da cultura local foi o sentido mais atribuído pelos grupos quando se prontificam a divulgar e preservar a dança popular. A fronteira entre a atuação como motor/indutor/produtor da cultura popular reverbera e retorna como grupo cênico e teatral. O trânsito instalado propõe zonas de ebulição que ora multiplica, ora subtrai sua potência como ética, estética, arte e política.

Endereço: https://www.revistas.ufg.br/fef/article/view/50842

Tags: ,

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.