Os Intelectuais e as Críticas às Práticas Esportivas no Brasil (1890-1947)

Por: Jorge Artur dos Santos.

2000 31/03/2000

Send to Kindle


Resumo

A difusão do esporte no Brasil encontrou resistências de vários matizes. Este trabalho faz, mediante pesquisa restrita ao período compreendido entre os primórdios da República e o final do Estado Novo, o mapeamento das argumentações de resistência a partir dos seus matizes políticos - anarquismo, comunismo, vários nacionalismos -, médicos - da higiene à eugenia - e pedagógicos - da educação católica à Escola Nova -, levando em conta a conjuntura histórica em que se desenvolviam e a maneira como polemizavam com o discurso aficionado. Demonstra também que muitos argumentos utilizados pelos aficionados foram originalmente criados para combatê-los, que algumas mudanças fundamentais ocorridas no discurso aficionado deveram-se em grande parte a esse debate, à necessidade de rebater a crítica, e que certos argumentos críticos se esgotaram no final do período.

Endereço: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-15122004-224736/pt-br.php

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.