Os Jogos Indígenas e as Contradições do Confraternizar e Competir

Por: Everson Carlos da Silva, Felipe de Melo Futada e .

Revista Brasileira de Ciências do Esporte - v.28 - n.1 - 2006

Send to Kindle


Resumo

Os Jogos dos Povos Indígenas tiveram início em 1996, com a participação de 470 índios, de 29 etnias e tinham como preocupação maior a aproximação das nações indígenas brasileiras das diferentes regiões do país. O lema inicial desse evento era “o importante não é competir e sim celebrar”, sintetizando sua finalidade que era o congraçamento entre os diferentes grupos étnicos indígenas brasileiros incentivando-os na participação da prática de atividades corporais de movimento e de outras manifestações culturais. Desde então essa tem sido uma oportunidade para que os índios exerçam a sua alteridade e apresentem à sociedade não-indígena sua produção, organização e história. A indiferença inicial pelo resultado e a valorização do adversário são situações vividas nas várias edições dos jogos que destacam a areté indígena, que guarda uma grande semelhança com o conceito olímpico de fair play.

Endereço: http://www.rbceonline.org.br/revista/index.php/RBCE/article/view/41

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.