Os Jogos Olímpicos Como Hierofania: Rito e Ritual, Uma Tradição, Mais Que Um Campeonato

Por: .

Olimpianos - Journal Of Olympic Studies - v.4 - n.1 - 2020

Send to Kindle


.Resumo

Os Jogos Olímpicos de Tóquio de 2020, a competição mais celebrada do mundo, mais ansiada pelos atletas e de maior visibilidade do planeta foi suspensa em virtude de eclosão da covid-19. A quebra do ritual, inédita na história olímpica contemporânea, afirma a magnitude da pandemia que assolou o planeta nesse ano. Diante da impossibilidade de realização nesse ano as autoridades olímpicas adiaram, em princípio, os Jogos para 2021 entendendo a condição temporária da situação. Se do ponto de vista comercial isso resolveria um problema para a cidade sede e para o COI, por outro lado essa decisão colocaria em xeque a dimensão ritualística da competição esportiva, pautada em um imaginário celebrativos heroico que remonta aos Jogos Olímpicos da Antiguidade e a todo o campo simbólico construído ao longo do último século. Esse artigo tem por finalidade discutir a hierofania dos Jogos Olímpicos e a extensão da pregnância mítica alcançada pela tradição de um ritual reconfigurado para o século atual.

Referências

1 Andrónicos M. Los Juegos Olímpicos en la Grecia Antigua. Atenas: Ekdotiké Hellados; 2003.

2 Boga M. Jogos Olímpicos na antiga Grécia e olimpismo moderno. Lisboa: Imprensa Lucas; 1964. 

3 Diem C. Historia de los deportes. Barcelona: Luis de Caralt; 1966.

4 Rubio K. O atleta e o mito do herói. São Paulo: Casa do Psicólogo; 2001.

5 Hobsbawn E, Ranger T. A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra; 1997.

6 Roche M. Mega-events and modernity: Olympics and expos in the growth of global culture. London: Routledge; 2000. 

7 MacAloon JJ. Agenda 2020 and the Olympic Movement. Sport Soc. 2016; 19(6):767–85.

Chappelet J-L. Towards better Olympic accountability. Sport Soc. 2011;14(3):319–31.

9 Chalip L. Towards Social Leverage of Sport Events. J Sport Tour. 2006; 11(2):109–27.

10 Eliade M. O sagrado e o profano. A essência das religiões. Lisboa: Livros do Brasil; 1999.

11 Brandão J. Mitologia Grega I. Petrópolis: Vozes; 1999.

12 Rubio K. Identidade heroica e narrativas biográficas: A memória do esporte por atletas olímpicos. Olimpianos - Journal of Olympic Studies. 2019; 3:1–24.

13 Durand G. Sobre a exploração do imaginário, seu vocabulário, métodos e aplicações transdisciplinares: mito, mitanálise e mitocrítica. Rev da Fac Educ. 1985;11(1/2):243–73.

14 Durand G. As estruturas antropológicas do imaginário. São Paulo: Martins Fontes; 1997. 

15 Paula Carvalho JC. Pedagogia do imaginário e culturanálise de grupos: educação fática e ação cultural. Rev da Fac Educ. 1989;15(2):133–51.

16 Ortiz-Osés A. Hermenêutica, sentido e simbolismo. In: Araújo AF, Baptista FP. Variações sobre o imaginário: domínios, teorizações, práticas hermenêuticas. Lisboa: Instituto Piaget; 2003. p. 93–139.

17 Campbell J. O poder do mito. São Paulo: Palas Athena; 1986.

18 Otto R. O sagrado. Lisboa: Edições 70; 1992.

19 Rubio K, Veloso R, Leão L. Between solar and lunar hero: a cartographic study of Brazilian Olympic athletes in the social imaginary. Im@go A J Soc Imag. 2018;11:147–62.

20 Rubio K. O imaginário da derrota no esporte contemporâneo. Psicol Soc. 2006;18(1):86–91.

21 Almeida WD, Rubio K. Three Athletes, Two Countries and a Single Club: The Process of Identity Formation of Immigrant Sailors in Brazil. OALib. 2017; 4(03): 1–12.

22 Melo GF, Rubio K. Mulheres atletas olímpicas brasileiras: início e final de carreira por modalidade esportiva. R bras Ci e Mov. 2017; 25(2): 104-116.

23 Almeida WD, Rubio K. Novos brasileiros nos jogos olímpicos: a presença de migrantes internacionais na delegação do país na Rio-2016. Rev Bras Ciência e Mov. 2018; 26(1):131–42.

24 Ferreira Junior NS, Rubio K. Término, transição e vida pós-atleta entre corredoras olímpicas brasileiras. Olimpianos - Journal of Olympic Studies. 2017; 1(2): 187-209.

Endereço: http://olimpianos.com.br/journal/index.php/Olimpianos/article/view/99

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.