Os Jogos Paralímpicos Rio 2016 e a (não) Mobilização da Dialética Global-local: Um Estudo com o Jornal Gazeta do Povo do Estado do Paraná

Por: Diego Polhmann dos Anjos, Doralice Lange de Sousa e .

Ciclo de Debates em Estudos Olímpicos e Paraolímpicos. Diferentes Olhares Sobre os Jogos Rio 2016: a Mídia, os Profissionais e os Espectadores (volume I).

Send to Kindle


Resumo

Introdução

O esporte paralímpico, tendo nos Jogos Paralímpicos (JP) a sua principal e maior manifestação na sociedade, se instituiu no âmbito esportivo a partir da criação do International Paralympic Committee (IPC) em 1989. Atualmente, além de realizar os JP de Verão e Inverno e gerenciar como federação nove modalidades paralímpicas, o IPC tem entre os objetivos do seu planejamento estratégico para o período de 2015-2018, consolidar os JP como um evento “premier”. A instituição espera tornar os JP mais atrativos para o público e expandi-los para uma escala global, transformando-o em um espetáculo midiático de massa (INTERNATIONAL PARALYMPIC COMMITTEE, 2015). Até a conclusão deste texto não foram encontrados dados que nos permitissem confirmar a materialização desse objetivo durante os Jogos Rio/2016, contudo os esforços imbuídos pelo IPC têm colocado os rumos do esporte paralímpico nesse sentido.

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.