Os Saberes do Movimento do Corpo na Educação Infantil: o Contexto da Formação de Professores nas Licenciaturas em Pedagogia de Curitiba-paraná

Por: Fabíola Berwanger.

163 páginas. 2011 25/08/2011

Send to Kindle


Resumo

A pesquisa investigou como são tratados os saberes do movimento do corpo na formação de professoras da criança pequena e, para isto, entrevistou professores formadores responsáveis por disciplinas que tratam do movimento do corpo infantil nas Licenciaturas em Pedagogia de Curitiba-Paraná. Para a construção de um aporte teórico sobre a formação de professores foram utilizados os estudos de Gatti e Barreto (2009), Marcelo García (1999, 2009) e Imbernón (2009); Barbosa (2009), Kramer (2002, 2006) e Oliveira-Formosinho (2002) sobre a formação das profissionais de Educação Infantil e os pressupostos de Wallon, Sayão (1997, 2000, 2002) e Garanhani (2004, 2005, 2010) sobre o movimento do corpo na Educação Infantil. O instrumento para a coleta de dados foi a entrevista semi-estruturada e para a análise fundamentou-se no estudo de Bardin (2009). Os eixos de análise foram: concepção de movimento na Educação Infantil, objetivos da disciplina, metodologia do ensino, fontes de saberes e compreensão do contexto de formação da Licenciatura em Pedagogia. A partir das particularidades dos contextos de formação investigados e das falas dos professores formadores foi possível constatar que as futuras professoras de Educação Infantil estão expostas a saberes do movimento do corpo diversificados, sendo: disciplinas com enfoques diferenciados; concepções de movimento distintas e permeadas de justificativas que não consideram as especificidades da pequena infância; objetivos variados que indicam falta de conhecimento sobre os contextos de atuação das futuras profissionais; metodologias de ensino que não relevam concepções prévias das alunas em formação; organização das disciplinas sem orientações específicas acerca das práticas pedagógicas para a criança pequena; fontes de saberes permeadas por uma diversidade de referenciais teóricos que sugerem abordagens diferenciadas nas práticas docentes; compreensão do contexto de formação limitada, pois cada formador se atém apenas aos seus próprios saberes, sem se preocupar com todo o contexto de formação inicial. Diante dessas constatações, buscou-se apoio no estudo de Roldão (2010) para concluir que professores formadores devem ter uma preocupação frequente com relação à sua prática, por meio da análise, avaliação e reorientação constante de suas ações docentes em prol de soluções e mudanças frente aos desafios enfrentados na formação de professores para a Educação Infantil. 

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.