Os Traços da Rebeldia: Esporte, Cultura e Política na Obra de Henfil (1968-1971)

Por: Euclides de Freitas Couto.

Podium Sport, Leisure And Tourism Review - v.1 - n.2 - 2012

Send to Kindle


Resumo

Este trabalho investiga as manifestações políticas presentes nas charges e nos cartuns publicados pelo cartunista brasileiro Henfil, durante as décadas de 1960/70. Nessa época, a contestação ao regime ditatorial, era delineada pela busca por liberdade de expressão, o protesto contra o autoritarismo e o questionamento das ideologias presentes no discurso militar. Objetiva-se analisar as formas de exteriorização da rebeldia, da contestação política que permeiam o discurso humorístico do cartunista. Tomando o contexto futebolístico como pano de fundo, Henfil se utilizou de personagens reais e fictícios para expressar suas opiniões políticas, conferindo novas representações às críticas sociais.

Referências

Bergson, H. O riso: ensaio sobre a significação do cômico. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1980.

Bourdieu, P. A distinção: crítica social do julgamento. Trad. Daniela Kern, Guilherme J. F. Teixeira. São Paulo: EDUSP, Porto Alegre: Zouk, 2007.

Freitas, M. de A. A institucionalização do futebol e a organização dos times em Belo Horizonte analisadas sob o prisma das relações de classe, étnicas e da construção da masculinidade. 2004. Dissertação (Mestrado em Psicologia). Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2004.

Hollanda, H B.;Gonçalves, M.A. Cultura e participação nos anos 60. 10 ed. São Paulo: Brasiliense, 1995.

Jal & GAL. A história do futebol no Brasil através do cartum. Rio de Janeiro: Bom Texto, 2004.

Malta, M. Henfil: o humor subversivo. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

Melo, J. M. A opinião no jornalismo brasileiro. Petrópolis/RJ: Vozes, 1985.

Minois, G. História do riso e do escárnio. São Paulo: UNESP, 2003.

Moraes, D. de. O rebelde do traço: a vida de Henfil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1996.

Motta, R.P.S. Jango e o Golpe de 1964 na caricatura. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.

Peirce, C.S. Semiótica. Trad. José Teixeira L. Coelho Neto. São Paulo: Perspectiva, 1977.

Prado, R. M. Henfil e o Flamengo. In: HENFIL. Urubu. Rio de Janeiro: Desiderata, 2007.

Santaella, Lucia. Semiótica aplicada. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002.

Sousa, Li-Chang S.S. Cobertura esportiva na televisão: jornalismo ou entretenimento? 2005. Dissertação. (Mestrado em Comunicação Social) Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005.

Souza, T. de. Como se faz humor político: depoimento a Tarik de Souza. Petrópolis/RJ: Vozes, 1984.

Srbek, W. O riso que liberta: uma leitura do quadrinho-arte de Henfil. 2004. Tese. (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, 2004.

Endereço: http://www.podiumreview.org.br/ojs/index.php/rgesporte/article/view/31

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.