Outubro, o Mês dos Congressos: Segunda Parte

Por: .

Blog do Bramante - 2011

Send to Kindle


Amigos:

          Terminei o texto da semana passada propondo relatar um pouco da segunda quinzena de outubro em relação a participação em eventos técnico-científicos nas áreas relacionadas à gestão do lazer. Sempre achei que para ensinar é necessário aprender. Portanto, participar dessas reuniões é uma forma de preparar-me para melhor expor os meus pensamentos assim como atualizar-me para colocar as pretensas certezas em suspeição.

          Como já falei por aqui anteriormente, em outubro de 2009 formamos um pequeno grupo de técnicos do SESI para participar do I Congresso Íbero-Americano de Instalações Esportivas e Recreativas (CIDyR) em Barcelona. Naquele mesmo evento fomos já preparados para pleitear a segunda edição do evento no SESI de São Paulo no ano seguinte. O SESI/Departamento Nacional (DN) e o Departamento Regional do SESI de São Paulo transformaram o conceito do evento, ampliando o espaço para elém de arquitetos e engenheiros, gerando oportunidades para apresentação de temas livres e posteres. Infelizmente, voltamos neste ano para o III CIDyR em Barcelona (17-19/10) e percebemos que os debates se voltaram muito mais para o “hardware” (edificações) do que o “software” (programação), minimizando os debates dos grandes desafios das instalações físico-esportivas que são muito mais ligados à gestão das pessoas (colaboradores e usuários) do que propriamente a concepção e edificação dos ambientes. Certamente essas duas dimensões dialogam entre si, mas como no Brasil, foi possível perceber que na Europa também a construção parece exercer maior fascínio do que a manteção e a animação do que já existe. Vale destacar nessa oportunidade o aumento e a diversificação da delegação brasileira, ou seja, o evento do ano anterior em São Paulo serviu de indutor para atrair novos atores no CIDyR deste ano.

          Num arranjo sui-gêneris, a convite do SESC de São Paulo, participamos (Prof. Marcolino, do SESI/DN e eu) nessa mesma semana do MOVE 2011 World Congress, promovido pela ISCA (Associação Internacional de Esporte e Cultura), em Paris (19-23/10). O SESC de São Paulo deverá sediar o MOVE 2012 World Congress on Sport for All explorando o tema “Latin America and the World”, de 24-28/10/2012. Nesse evento foi possível observar como ainda está vivo o conceito de “Esporte para Todos”, que foi (ou ainda é) “demonizado” por alguns segmentos da educação física brasileira (especialmente por pessoas que pouco participaram desse movimento nas décadas de 1970/80 no Brasil). Observei que a visão comunitária ainda prevalece para tornar as práticas das atividades física-esportivas um direito de todos. Foi particularmente instigante o “talk-show” no final do evento com cinco mulheres: Shellie Pfohl, Diretora Executiva do Conselho Presidencial de Fitness, Esporte e Nutrição (este último tema recém incorporado ao órgão) dos USA; Margaret Best, Ministra de Promoção de Saúde e Esportes da Provícia de Ontário/Canadá; Despina Sapanou, Membro da Comissão Européia de Saúde e Esportes; Kelly Murumets, Presidente e Diretora Executiva do programa ParticipACTION do Canadá e Lori Sloate do Centro de Desenvolvimento de Saúde da OMS, no Japão. Elas debateram as diversas maneiras de promover a saúde através da atividade física abordando aspectos como legislação e iniciativas dos governos, campanhas, construção de instalações, programas educativos, etc.

          Finalmente, encerrei esse mês participando do I Fórum Internacional de Lazer, realizado no dia 29/10 em Belo Horizonte, sob o patrocínio do SESC de Minas Gerais. Além dos queridos amigos da UFMG (hoje um dos principais centros de excelência no campo do lazer no Brasil, especialmente agora que tiveram seu doutorado específico na área aprovado), foi uma oportunidade positiva conhecer alguns estudiosos da América Latina e rever dois ícones dessa área: Francis Lobo (Austrália) e Chris Rojek (Inglaterra). Ali deu para perceber como nós, brasileiros, estamos à frente na construção conceitual do objeto “lazer”, constatar que a América Latina, aos poucos retoma o que um dia já liderou e, quanto aos dois convidados internacionais “mais de longe”, algumas ressalvas. Dr. Lobo abordou um tema extremamente complexo (“Lazer, Felicidade e Desenvolvimento: Uma Pespectiva Global”), utilizando elementos de análise aquëm do desejado e Rojek, com o tema “O Lado Niglicenciado do Lazer: Desafios e Perspectivas da Educação para o Lazer”, que mais uma vez trouxe a nós a questão do chamado “lazer patológico”. Essa abordagem indica ser necessário reequilibrar os estudos do lazer também em uma outra dimensão, menos idealizada pelos benefícios que se aufere de sua vivência e mais pelos malefícios que dele resultam (lazer “desviante”). O assunto é complexo e tráz desdobramentos de difícil gerenciamento para aqueles que se propõe educar para/pelo lazer. Esse assunto merece ser retomado em outra oportunidade.

          Forte abraço.

Bramante

Por Bramante
em 27-12-2011, às 20:20

2 comentários. Deixe o seu.

Comentários

Grato Bramante pela excelente exposição. Pena que outros não emitam suas opiniões de forma tão elegante e abrangente. Dá-me vontade de participar como ouvinte do MOVE 2012 World Congress on Sport for All, inclusive pela exploração de tema ligado ao meu projeto de expansão pela América Latina e países lusófonos da África. Quem sabe?

Por Roberto Pimentel
em 28-12-2011, às 8:34.

Caro Roberto, acho sua idéia excelente! Além desse evento, já que o assunto tem a ver com comunidade lusófona, sugiro que você visite o site http://www.casaef.org.br/palops/nsite/
Lá você poderá obter informações sobre o XIV Congresso de Ciências de Dosporto e Educação Física dos Países de Língua Portuguesa, a ser realizado em Belo Horizonte, de 02 a 05 de abril próximo.

Por Bramante
em 31-12-2011, às 12:28. 

Endereço: https://web.archive.org/web/20150425113741/http://blog.cev.org.br/bramante/2011/outubro-o-%e2%80%9cmes-dos-congressos%e2%80%9d-segunda-parte/

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.