Padrão de Actividade Física. Estudo em Crianças de Ambos os Sexos do 4º Ano de Escolaridade

Por: André Seabra, José Maia, Luísa Magalhães e Rui Silva.

Revista Portuguesa de Ciências do Desporto - v.2 - n.2 - 2002

Send to Kindle


Resumo

RESUMO O presente estudo visa conhecer os níveis de actividade física no tempo de lazer e o padrão (ao nível do modo, da intensidade, da duração e da frequência) da actividade física habitual de crianças em contexto escolar. Foi seleccionada uma amostra de 120 crianças, de ambos os sexos, de 10 anos de idade (em média), a frequentar o 4º ano de escolaridade em duas escolas do 1º Ciclo do Ensino Básico de Vila Nova de Gaia. A avaliação da actividade física no tempo de lazer foi efectuada através do questionário de Godin e Shephard (21). Para avaliar a actividade física no tempo escolar, solicitou-se a 49 crianças o uso de um acelerómetro portátil (Tritrac-R3D) durante cinco dias. Os procedimentos estatísticos usados foram as medidas descritivas média, desvio-padrão, frequências absolutas e relativas; o tteste de medidas independentes e o teste não-paramétrico de Mann-Whitney. Os principais resultados foram os seguintes: (1) os rapazes apresentam um índice superior de actividade física no tempo de lazer, quando comparados com as raparigas, principalmente no que se refere à actividade física de intensidade elevada; (2) as crianças evidenciam um padrão de actividade física que se caracteriza pela aleatoriedade com oscilações na sua intensidade e duração; (3) as crianças evidenciam durante o período escolar um predomínio de actividade física de intensidade baixa, não realizando, no mínimo, 30 minutos de actividade física moderada a vigorosa diária; (4) os rapazes apresentam valores significativamente (p<0.05) mais elevados do que as raparigas de actividade física moderada a vigorosa no recreio; (5) as crianças, mesmo em sessões organizadas de Educação Física, apresentam um padrão de actividade física caracterizado pela sua baixa intensidade, não despendendo pelo menos 50% do tempo total da aula em actividade física moderada a vigorosa; (6) o dispêndio energético não expressa um comportamento diferente nas sessões organizadas de Educação Física e nos momentos de actividade livre de recreio. Palavras-chave: Actividade física; crianças; 1.º ciclo do ensino básico, acelerometria.

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.