Parkour: Mensuração do Metabolismo Energético e Morfofisiológico de Seus Praticantes

Por: Ana Cláudia Ferreira, Cassio Dias de Andrade Júnior, Guilherme Natan Paiano dos Santos, Julio Cesar Bassan e Marcelo Romanovitch Ribas.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte - v.22 - n.1 - 2016

Send to Kindle


Resumo

Objetivo: Analisar o comportamento do metabolismo energético e do sistema cardiorrespiratório durante uma sessão de parkour. Método: Foram avaliados 18 indivíduos praticantes da modalidade. O comportamento do metabolismo energético durante uma sessão de parkour foi avaliado por meio da frequência cardíaca (FC), lactato e glicose. Resultados: Os resultados indicaram que a FC média durante a sessão de treino foi de 167,64 ± 7,05 bpm representando 84,36 ± 3,52 %. O lactato inicial foi de 4,49 ± 3,08 mmol/L e o final de 9,23 ± 3,08 mmol/L onde p-valor para as variáveis foi de p = 0,0007. A glicose inicial foi de 73,6 ± 20,71 mg/dL e final de 76,06 ± 20,20 mg/dL assumindo um p-valor de p = 0,7408. Em se tratando da composição corporal, o percentual de gordura foi de 8,78 ± 2,82 %, a dobra que mais apresentou acúmulo de gordura foi do abdômen 12,32 ± 5,69 mm. Conclusão: Conclui-se que a modalidade parkour tem predominância do metabolismo anaeróbio glicolítico, com suporte do metabolismo aeróbio. Além disso, devido à especificidade da modalidade, seus praticantes possuem baixo percentual de gordura.

Endereço: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1517-86922016000100035&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.