Parkour: Propostas de Aulas na Educação Física Escolar

Por: e Miguel Herick Sousa de Lemos.

Caderno de Educação Física e Esporte - v.18 - n.2 - 2020

Send to Kindle


Resumo

Referências

ALVES, C. S. R.; CORSINO, L. N. O parkour como possibilidade para a educação física escolar. Motrivivência, Florianópolis, n. 41, p. 247-57, 2013.

BIANCHI, J. G. O parkour. O desenvolvimento do indivíduo que prática essa atividade física. São Paulo, 2008. Disponível em: Acessado em: 26 de abril de 2020.

BITTENCOURT, E. Parkour Brasil: História do Parkour. 2008-2009. Disponível em: . Acessado em: 17 de novembro de de 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: proposta preliminar. 2. ed. Brasília: MEC, 2018. Disponível em: . Acessado em: 02 de maio de 2020

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares nacionais: Educação Física. Brasília: MEC/SEF, 1998.

CARNICELLI FILHO, S. O prazer e o medo nas atividades físicas de aventura na natureza. 2007. 156f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2007.

COSTA, L. C. A.; NASCIMENTO, J. V. Prática pedagógica de professores de Educação Física: conteúdos e abordagens pedagógicas. Journal of Physical Education, Maringá, v. 17, n. 2, p. 161-7, 2006.

DAVID B. Eu salto de telhado em telhado - Agosto 2009. Disponível em: . Acessado em: 01 de maio de 2020.

DJORDJEVIC, D. O espírito do parkour. 2006. Disponível em: . Acessado em: 04 de maio de 2020.

ESTEBAN, M. P. S. Pesquisa qualitativa em educação: fundamentos e tradições. Porto Alegre: AMGH, 2010.

FRANCO, L. C. P.; DE OLIVEIRA, E. C.; DE OLIVEIRA, I. L.; OLIVEIRA, M. A. Atividades físicas de aventura: proposta de um conteúdo na educação física escolar no ensino fundamental. Arquivos em Movimento, Rio de Janeiro, v. 7, n. 2, p. 18-35, 2011.

GASPAR, D.; MIRANDA, S. de. Conteúdos alternativos que desencadeiam a motivação dos alunos nas aulas de educação física do ensino médio. In: Congresso Nacional de Educação. 2009. Congresso Nacional de Educação. Anais... Curitiba – PR: Editora Champagnat. p. 3310-3320. Disponível em: . Acessado em: 09 de junho de 2020.

GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. (Org.). Métodos de pesquisa. Porto Alegre: UFRGS, 2009.

INÁCIO, H. L.; CAUPER, D. A. C.; SILVA, L. A. P.; MORAIS, G. G. Práticas corporais de aventura na escola: possibilidades e desafios-reflexões para além da base nacional comum curricular. Motrivivência, Florianópolis, v. 28, n. 48, p. 168-87, 2016.

LORDÊLLO, A. F.; ALMEIDA, R. S.; PARAÍSO, C. S.; RODRIGUES, R. C. F. Oficina sobre Parkour: uma experiência na disciplina ginástica escolar. In: IV Congresso Nordeste de Ciências do Esporte - CONECE. Anais... Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) - Bahia, 19 a 21 de setembro, 2012. Disponível em: . Acessado em: 10 de abril de 2020.

MOREIRA, D. Pesquisa em administração: origens, usos e variantes do método fenomenológico. Innovation & Management Review, São PAulo, v. 1, n. 1, p. 5-19, 2004.

MOURA, D. L.; HENRIQUES, I. A. D. Saltando na escola: uma proposta de unidade didática de parkour nas aulas de educação física. Cadernos de Formação RBCE, Porto Alegre, v. 8, n. 2, p. 31-44, 2018.

ORLANDI, E. Parkour: corpo e espaço reescrevem o sujeito. Revista Língua e Instrumentos Linguísticos, Campinas, v. 34, p. 75-87, 2014.

PEREIRA, D. W.; ARMBRUST, I. Pedagogia da aventura: os esportes radicais, de aventura e de ação na escola. Jundiaí: Fontoura, 2010.

PEREIRA, D. W.; HONORATO, T.; AURICCHIO, J. R. Parkour. Licere, Belo Horizonte, v. 23, n. 1, p. 134-52, 2020.

POON, L. Can parkour teach older people to ‘fall better’? Citylab, Alexandria, Virginia, 19 de dez. de 2018. Disponível em: . Acessado em: 29 de abril de 2020.

SENA, D. C. S.; Rodrigues, W. C. M. F., Sobrinho, J. M.; Dantas, M. J. B.; Silva, C. G. L. S. A BNCC em discussão na formação continuada de professores de educação física: um relato de experiência – Natal/RN. Motrivivência, Florianópolis, v. 28, n. 49, p. 227-41, 2016.

SEVERINO, A. J.; PEREIRA, D. W.; SANTOS, V. S. F. Aventura e educação na Base Nacional Comum. EccoS Revista Científica, São Paulo, v. 41, p. 107-25, 2016.

SOARES, C. L. George Hébert e o método natural: nova sensibilidade, nova educação do corpo. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas, v. 25, n. 1, p. 21-39, 2003.

STRAMANDINOLI, A. L. M; REMONTE, J. G.; MARCHETTI, P. H. Parkour: história e conceitos da modalidade. Revista Mackenzie de Educação física e Esporte, São Paulo, v. 11, n. 2, p. 13-25, 2012.

TAHARA, A. K.; DARIDO, S. C. Diagnóstico entre a relação das práticas corporais de aventura e a educação física escolar. Revista Corpoconsciência, Cuiabá, v. 19, n. 1, p. 1-10, 2016.

VIEIRA, M.; PEREIRA, D. W.; MARCO, M. Primeiros obstáculos no Parkour escolar. In: Congresso paulistano de Educação física escolar (CONPEFE). Anais... São Paulo: CONPEFE, p. 01-13, 2011. Disponível em: . Acessado em: 09 de julho de 2020.

INTRODUÇÃO: O Parkour é uma manifestação da cultura corporal de movimento que foi incluído na Base Nacional Curricular Comum (BNCC), por meio da unidade temática Práticas Corporais de Aventura. Sabe-se que alguns professores de Educação Física limitam suas aulas por não terem informações corretas sobre conteúdos não tradicionais e pela falta de estudos científicos relacionados ao parkour no âmbito escolar.
OBJETIVO: O estudo tem como objetivo apresentar propostas de aulas do parkour na educação física escolar.
MÉTODOS: A pesquisa é do tipo qualitativa e descritiva, com público-alvo de 30 estudantes do 9º ano do ensino fundamental anos finais. A técnica de investigação foi a observação, realizada a partir dos planos de aulas e imagens das atividades.
RESULTADOS: Diante dos planos de aulas ministrados, observamos a participação, o entusiasmo e o empenho dos estudantes na aprendizagem dos movimentos e habilidades motoras básicas do parkour.
CONCLUSÃO: O desenvolvimento das aulas foi significativo para os estudantes no que se refere a promover diversas perspectivas de aprendizagens (motoras, cognitivas, afetivas, cultural, social e emocional) do parkour. Promovemos atividades de forma sistematizadas, adequada com a faixa etária e pertinente com a realidade dos estudantes. Objetivamos o aprendizado de forma lúdica, com criatividade usando poucos materiais e espaço não delineado. O estudo é relevante já que há poucos estudos científicos sobre a prática do parkour no contexto escolar.

Endereço: http://e-revista.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/23641

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.