Parques Esportivos Como Espaço ou Lugar de Inclusão ou Exclusão de Pessoas com Deficiência Física e Visual

Por: , e Tânia Mara Vieira Sampaio.

Licere - v.21 - n.1 - 2018

Send to Kindle


Resumo

O objetivo é analisar se os parques esportivos de Campo Grande/MS se constituem como espaço e/ou lugar de inclusão ou exclusão de pessoas com deficiência física e visual. Trata-se de uma pesquisa descritiva/exploratória, com ênfase na avaliação morfológica normativa dos seguintes itens dos parques esportivos: estacionamento, passeio público, acesso, circulação horizontal, circulação vertical, sanitários e vestiários, mobiliários, e espaços e equipamentos. Verificou-se que, com exceção de dois estacionamentos do Parque das Nações Indígenas, e as vias de circulação horizontal dos Parques Jaques da Luz, Ayrton Senna, Ecológico do Sóter e Tarsila do Amaral, todos os demais itens analisados est às pessoas com deficiência física e visual. Dessa forma, é possível afirmar que a legislação não tem sido cumprida pelo poder público e os parques esportivos não tem se configurado como lugar de inclusão. 

Endereço: https://seer.ufmg.br/index.php/licere/article/view/10937

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.