Participação em Atividade Física e Comportamentos de Risco à Saúde em Adolescentes: Diferenças Entre Sexos

Por: Edmar Roberto Fantinelli, Gabriela Cansian Martins, Jhonatan Gritten Campos, Michael Pereira da Silva e Nicolau Augusto Malta.

Caderno de Educação Física e Esporte - v.14 - n.2 - 2016

Send to Kindle


Resumo

Comportamentos de risco apresentam-se como fortes contribuintes para o desenvolvimento de diversas doenças crônico-degenerativas. Contudo atingir os níveis recomendados de atividade física é um importante fator para a prevenção destas doenças. Meninos e meninas apresentam diferentes características comportamentais que podem influenciar nos níveis de atividade física e adoção de comportamentos de risco a saúde, tanto na infância quanto na adolescência. Tais fatores podem estar relacionados com diversas questões biológicas, sociais e culturais objetivo do estudo foi verificar a existência de diferenças significativas nos níveis de atividade física, hábitos sedentários e consumo de cigarro e bebida alcoólica entre meninos e meninas. A amostra foi composta por 815 adolescentes de 11,0 a 15,9 anos (409 meninos e 406 meninas), matriculados na rede pública de ensino da cidade de Curitiba, Paraná. Para avaliar o nível de atividade física (AF) foi utilizado o questionário Youth Activity Profile. Para a avaliação do tempo gasto em atividades sedentárias foi utilizado o Questionário de Atividades Sedentárias para Adolescentes. Para a identificação do consumo de cigarro e bebida alcoólica foram utilizadas questões da versão em português do Youth Risk Behavior Survey. A análise descritiva foi utilizada para a caracterização da amostra. Foi utilizado o teste U de Mann-Whitney para a comparação entre os grupos para os escores de Atividade física e o tempo sedentário, e o teste Qui-quadrado para o consumo de álcool e cigarro, adotando p<0,05.  A média de idade foi de 14 anos com DP ±2,5 para meninos e 13,7com DP ±2,1 para as meninas. Meninos apresentaram maiores scores de AF na escola (2,6 vs 2,1, p=0,000), AF em casa (2,3 vs 2,0, p=0,000), AF no final de semana (2,5 vs 2,5, p=0,000) e AF total (2,3 vs 1,8, p=0,000). Dos adolescentes que responderam ter bebido ao menos um dia nos últimos 30 dias, 55,7% eram meninas e 44,3% eram meninos. Outras variáveis não se mostraram significativas quando comparadas entre os sexos. Os meninos se mostraram mais ativos do que as meninas em todos os ambientes analisados e também na AF total. No caso das meninas, elas se mostraram mais suscetíveis ao consumo de álcool quando comparadas aos seus pares do sexo masculino. As variáveis de comportamento sedentário e consumo de cigarro não se mostraram significativas.

Endereço: http://e-revista.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/16862

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.