Participação nas Aulas de Educação Física e Prática de Atividade Física Habitual com o Atendimento de Critérios de Aptidão Física Relacionada à Saúde em Escolares

Por: Diogo Henrique Constantino Coledam e Wagner de Campos.

2013 25/02/2013

Send to Kindle


Resumo

O objetivo desse estudo foi verificar a associação entre participação nas aulas de Educação Física e prática de atividade física com o atendimento dos critérios de saúde em escolares. O estudo envolveu 780 escolares de ambos os sexos (386 do sexo masculino e 394 do sexo feminino), matriculados na rede estadual de ensino da cidade de Londrina – PR. Todos os participantes responderam a um questionário a fim de ser obter informações acerca da atividade física habitual, aulas de Educação Física e condição socioeconômica. Além disso, foram realizados os testes de aptidão aeróbia (PACER – Progressive Aerobic Cardiovascular Endurance Run) e força muscular (Push-up). As medidas de estatura e massa corporal foram coletadas para avaliar o Índice de Massa Corporal (IMC). A Pressão arterial foi medida por meio de um aparelho oscilométrico Omron HEM 742, utilizando um manguito de acordo com o tamanho do braço do avaliado. Os participantes foram categorizados em três grupos: Grupo que participa apenas das aulas de Educação Física, Grupo que pratica atividade física <7h/semana e Grupo que pratica atividade física ≥7h/semana. Todas as variáveis dependentes foram analisadas de acordo com o critério de saúde de cada uma. A análise estatística foi realizada por meio do teste de Qui-Quadrado para tendência seguido da Regressão de Poisson. No atendimento do critério de saúde para aptidão aeróbia, a razão de prevalência ajustada foi 73% maior (RP=1,73, IC95% 1,33 – 2,26) nos praticantes de atividade física ≥ 7h/semana quando comparado aos que participam apenas das aulas de Educação Física. Para a força muscular, o atendimento do critério de saúde na análise ajustada foi 41% (RP=1,41, IC95% 1,13 – 1,75) superior. Com relação à atividade física na escola, a razão de prevalência ajustada foi 25% (RP=1,25, IC95% 1,07 – 1,49) superior. Para a atividade física no lazer, foi verificada razão de prevalência ajustada 156% maior (RP=2,56, 2,04 – 3,21) nos que atendem a recomendação de atividade física moderada a vigorosa semanal. O IMC e a pressão arterial elevada não apresentaram associação com a prática de atividade física quando incluídas na regressão de Poisson (P>0,05). A quantidade semanal recomendada de atividade física está associada ao atendimento dos critérios de saúde para a aptidão aeróbia, força muscular, atividade física na escola e no tempo livre em escolares, tendo como referência os que realizam apenas aulas de Educação Física. Para o IMC e pressão arterial elevada não foram encontradas associações com a prática de atividade física.

Endereço: http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?code=vtls000182190

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.