Perceção de Competência Atlética em Jovens Praticantes de Futebol: Efeitos da Posição Ocupada no Campo, da Participação em Competição, do Tempo e Frequência de Prática e do Clima Motivacional Induzido Pelos Pais

Por: Carla Teixeira, José Vasconcelos Raposo e Rute Carvalho.

Revista Portuguesa de Ciências do Desporto - n.2 - 2012

Send to Kindle


Resumo

O objetivo principal desta investigação foi estudar a perceção de competência atlética de atletas jovens, assim como o efeito de algumas variáveis, nomeadamente a idade, a posição ocupada no campo, a participação em competição, o tempo e frequência da prática e o clima motivacional induzido pelos pais. A amostra foi composta por 298 rapazes praticantes de fu-tebol, com idades compreendidas entre os 12 e os 19 anos. Os instrumentos utilizados nesta investigação foram a versão portuguesa do Parent-Initiated Motivational Climate Questionnai-re-2(30) e a Subescala de Competência Atlética da Escala de Autoconceito e Auto-estima (27). Os resultados obtidos revelaram que a amostra apresenta uma perceção de competência atlética positiva e os atletas que competem apresentam uma perceção de competência atlética mais elevada. Sempre que os atletas jogam na posição desejada percebem-se mais competentes, assim como quando praticam a modalidade há mais tempo e de forma mais frequente (mais treinos semanais). A perceção de competência atlética é maior sempre que o pai induz um clima motivacional de prazer na aprendizagem e não induz um clima conducente aos erros; o mesmo não acontece para a mãe que quando induz um clima conducente aos erros a perceção de competência do atleta aumenta. Não existem diferenças significativas na perceção de com-petência dos atletas em função da idade nem da posição que ocupam no campo.

Endereço: https://rpcd.fade.up.pt/entradaPT.html

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.