Percepção da Efetividade do Pilates de Solo na Dorsalgia em Adolescentes

Por: A. D. Chaves, D. Bertoncello, L. A. Reis, R. M. R.simões, S. A. Silva e W. W. Moreira.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

A adolescência é um dos períodos da vida do ser humano em que ocorrem mudanças psicológicas, afetivas, sociais e físicas; bem como na estatura e na massa corporal. Há também mudanças em relação à postura, que pode ser influenciada por maus hábitos esses produzem maior tensão sobre as estruturas de suporte, articulações e músculos posturais. Alguns autores comprovam associação entre desvios posturais e dorsalgia, apesar dessa relação não ser consenso na literatura; mudanças no padrão postural são apontadas como fator de risco para o desenvolvimento de lombalgia. Pesquisas epidemiológicas revelam que a prevalência de dor lombar em adolescentes vem aumentando consideravelmente nas últimas décadas, apontando prevalências elevadas, entre 30 e 51%, sendo essa problemática ainda mais significativa quando se perpetua para a idade adulta. Então investigamos se e os exercícios de Pilates de solo aliviam a dorsalgia em adolescentes. Quatro adolescentes foram submetidas à avaliação postural com simetógrafo, foi realizada avaliação da intensidade de dor através da escala visual analógica (EVA) além da percepção da dor relatada pelas voluntárias durante a avaliação (queixa principal) e reavaliação. As adolescentes realizaram 12 semanas de exercícios de Pilates de solo, em duas sessões semanais com duração 50 minutos cada. As adolescentes realizaram os seguintes exercícios: spine stretch, one leg stretch, shoulder bridge, the hundred, the roll up, the saw, the double kick, swimming, the leg pull com cotevelos fletidos, the leg pull front, the side kick knneling, side bend, the rocking and shell stretch. Houve duas semanas de ambientação; nas quais foram executadas 5 repetições de cada exercício, progredindo para 8 e posteriormente 10 repetições. Após 12 semanas as adolescentes foram reavaliadas. As quatro adolescentes eram do sexo feminino, com idade entre 13 e 19 anos, sem sobrepeso com diagnósticos clínicos de cifoescoliose, hiperlordose, escoliose. Todas queixavam dor - "estou com as costas curvadas e dores insuportáveis".- "tenho dor nas pernas e nas costas próximo ao pescoço"; "tô com dores nas costas do pescoço até a cintura, nos ossos" e "sinto dor na lombar". Com de escores da EVA entre 6, 7, 8 e 9, média de 7,5 ± 1,29. Após as 12 semanas de exercícios de Pilates de solo verificouse melhora na postura de todas as adolescentes na avaliação com simetógrafo; diminuição dos escores da EVA em três pacientes, de 6, 8 e 9 para zero; quanto à paciente que assinalou escore de 7 relatou que houve diminuição para 3. Quanto à percepção da dor e os benefícios dos exercícios de Pilates de solo relataram: "[...] para mim foi ótimo aprendi a corrigir mais a postura, controlar a respiração e ter mais concentração [...] não sinto a dor insuportável que sentia [...]"; "As sessões de Pilates ajudaram a melhorar a minha postura, minha coordenação, manter a força dos meus músculos, não sinto mais dores"; "[...] as dores melhoraram e fiquei mais bem disposta".

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.