Percepção da Qualidade de Vida e Sintomas Ansiosos e Depressivos de Pacientes Oncológicos em Tratamento Quimioterápico: Um Comparativo Entre Usuários de Um Serviço Público e Um Privado

Por: Carlos Queiroz do Nascimento, Edilma Fernandes Fireman, João Araújo Barros-neto e Sônia Oliveira Lima.

Revista Brasileira de Qualidade de Vida - v.11 - n.2 - 2019

Send to Kindle


Resumo

OBJETIVO: Comparar a percepção da qualidade de vida (QV) e a presença de sintomas ansiosos e depressivos de pacientes em tratamento quimioterápico, usuários de um hospital público e de um privado na cidade de Maceió/AL.

MÉTODOS: Estudo do tipo transversal observacional, realizado com pacientes em tratamento oncológico com quimioterápicos em um hospital público e outro privado de Maceió no período de novembro de 2015 a julho de 2016. A QV foi avaliada por meio do protocolo European Organization for Research and Treatment of Cancer Core Quality of Life Questionnaire (EORTC) e a presença de sintomas ansiosos e depressivos foram observados pela Escala Hospital Anxiety and Depression (HAD). Os dados coletados foram organizados em banco de dados eletrônicos e analisados quantitativamente por meio do software estatístico Statistical Package for Social Sciences (SPSS), respeitando a natureza de distribuição das variáveis estudadas.

RESULTADOS: A amostra constituiu-se de 65 pacientes, 33 (50,9%) foram atendidos em hospital conveniado ao Sistema Único de Saúde (SUS) e 32 (49,1%) no hospital particular. A média da idade foi de 54,2 anos (±11,8 DP), não havendo diferença entre os grupos (p=0,184). A maioria da amostra foi do sexo feminino (67,7%). Avaliando a frequência de indivíduos com sinais de ansiedade, observou-se que o grupo de indivíduos atendidos através do convênio particular sofre com maior possibilidade de apresentar sinais de ansiedade em comparação com o grupo atendido pelo convênio SUS (n=26, 81,2% versus n=7, 21,2%; respectivamente) (p<0,001). A frequência de indivíduos com sintomas depressivos foi maior no grupo atendido pelo convênio particular (n=27, 84,3% versus n=7, 21,2%; respectivamente) (p<0,001). Nas funções física, cognitiva e social, a média foi de 73,2 pontos para pacientes do SUS e 62,6 pontos para pacientes atendidos em hospital particular (p=0,005). Nas escalas de sintomas, a média foi de 29,7 para pacientes do hospital público e 34,9 para clientes do hospital particular (p = 0,043).

CONCLUSÕES: A doença e o tratamento quimioterápico parecem exercer impacto mais negativo sobre a QV dos pacientes em tratamento pelo convênio particular. Entretanto, a presença de sintomas ansiosos e depressivos foi bastante frequente nos usuários de ambos os serviços hospitalares.

Endereço: https://periodicos.utfpr.edu.br/rbqv/article/view/9305

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.