Percepção da Síndrome de Burnout em árbitros de Futsal

Por: Daniel Alvarez Pires e Manoel Victor Botelho Ribeiro.

Caderno de Educação Física e Esporte - v.17 - n.2 - 2019

Send to Kindle


Resumo

Introdução: A pressão psicológica recorrente e as exigências por um desempenho elevado podem influenciar de forma negativa a saúde psicológica do árbitro. Essa sobrecarga de estresse pode torná-lo propenso à síndrome do esgotamento profissional conhecida como burnout. Objetivo: O presente estudo tem como objetivo comparar a percepção de burnout em árbitros de futsal em relação ao grau de escolaridade, ao nível de arbitragem e ao tempo de arbitragem. Participaram do estudo 41 árbitros de futsal com média de idade de 41,85±11,47 anos, pertencentes à Federação de Futsal do Pará (FEFUSPA). Métodos: Foram utilizados o “Inventário de Burnout para Árbitros”, composto por nove itens que associam as três dimensões da síndrome, e um questionário demográfico. Para a análise de dados foram utilizados a estatística descritiva e o teste U de Mann Whitney (p≤0,05). Resultados: Não houve diferenças significativas na percepção das dimensões de burnout em relação às variáveis estudadas. Conclusão: As variáveis grau de escolaridade, nível de arbitragem e tempo de arbitragem não interferem na manifestação da síndrome de burnout em árbitros.

Endereço: http://e-revista.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/23132

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.