Percepção do Ambiente Para a Prática de Atividade Física de Pessoas com Diabetes Mellitus

Por: Camila de Moraes, Carla Regina de Souza Teixeira, Gabriel Guidorizzi Zanetti, Jennifer Vieira Paschoalin Marques, Maria Lúcia Zanetti, Paula Parisi Hodniki, Plínio Tadeu Istilli, e Tânia Alves Canata Becker.

Licere - v.21 - n.3 - 2018

Send to Kindle


Resumo

Este estudo analisou a percepção do ambiente para a prática de atividade física de pessoas com diabetes mellitus tipo 2 de uma cidade do interior paulista. Foram entrevistadas 86 pessoas, quanto aos dados sociodemográficos, Questionário Internacional de Atividade Física, e a Escala de Percepção do Ambiente adaptada. A maioria das pessoas estão acima dos 60 anos de idade, são mulheres, aposentados, baixa renda e não atingiram 150 minutos de prática de atividade física por semana. As pessoas que percebem acesso a conveniências mais próximas à sua residência são mais ativas no tempo de lazer do que as que não percebem. Assim como, as que recebem convite de vizinhos e/ou amigos têm mais chance de praticarem atividade física do que as pessoas que não recebem.  As pessoas que percebem acesso a conveniências longe de sua residência e ruas planas próximas à sua residência têm mais chance de praticar caminhada como forma de deslocamento do que as pessoas que não percebem. Há necessidade de adequação dos espaços públicos que favoreça a motivação, o ambiente físico e social para a prática de atividade física de pessoas com diabetes mellitus.

Endereço: https://seer.ufmg.br/index.php/licere/article/view/11991

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.