Perfil Antropométrico e Fisiológico de Atletas Brasileiros de Rugby

Por: Álvaro Reischak de Oliveira, André Luiz Lopes, Bruno Manfredini Baroni, Flávio de Souza Castro, Giovani dos Santos Cunha, Regis Radaelli e Ricardo Tannhauser Santana.

Revista Brasileira de Educação Física e Esporte - v.25 - n.3 - 2011

Send to Kindle


Resumo

O "Rugby" é um esporte bastante popular internacionalmente e em franca ascensão no Brasil. É caracterizado pela existência de duas posições táticas básicas ("forwards" e "backs"), cujos atletas apresentam demandas funcionais e características físicas distintas. Embora a literatura internacional apresente um número interessante de referências acerca do perfil antropométrico e fisiológico destes atletas, pouca atenção tem sido despendida aos atletas brasileiros. Assim, este trabalho teve como objetivo verificar o desempenho de 20 jogadores amadores de "Rugby" submetidos à ergoespirometria, teste de Wingate e Dinamometria isocinética bem como a comparação entre "backs" (n = 10) e "forwards" (n = 10) para verificar possíveis diferenças entre as posições táticas. Para determinação dos valores de VO2 e VCO2 foi utilizado um analisador de gases computadorizado (CPX-D; MedGraphics Cardiorespiratory Diagnostic Systems) para variáveis de força um dinamômetro isocinético Cybex Norm (Lumex & Co., Ronkonkoma, USA) e para comparações de composição corporal foi aplicada a técnica de cinco componentes da ISAK. A comparação entre os dados foi verificada por meio do teste t de Student para amostras independentes, sendo que para todas as variáveis foi adotado um índice de significância de p < 0,05. Os nossos resultados mostram uma diferença significativa entre "backs" e "forwards’ nas variáveis VO2max (47,8 ± 4,5 e 38,8 ± 5,5 ml.kg-1.min-1) - 2º limiar ventilatório (38,3 ± 3,0 e 31,6 ± 4,2 ml.kg-1.min-1) - potência média (7,5 ±0,6 e 6,3 ±1,1 W.kg-1) e trabalho total (225,7 ± 18,4 e 187,9 ± 31,7 J.kg-1) - massa corporal (78,5 ± 9,5 e 101,6 ± 12,6 kg) Massa Adiposa (24,7 ± 3,2 e 29,7 ± 4,6%) Massa Muscular (48,7 ± 4,2 e 44,5 ± 3,4%) respectivamente (p < 0,05). Sendo assim, evidenciamos a existência de diferenças significativas em algumas das variáveis medidas entre atletas de "Rugby’ conforme sua função no jogo. Essa evidência mostra que mesmo os atletas sendo de nível amador, as características fisiológicas, antropométricas e mecânicas são semelhantes quando comparadas aos jogadores de nível profissional.

Endereço: http://www.scielo.br/pdf/rbefe/v25n3/v25n3a04.pdf

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.