Perfil de Aptidão Física de Estudantes de Uma Escola Pública Participante em Um Projeto de Iniciação à Docência

Por: M. C. Moraes, M. M. Fernandes, R. A. Costa Filho, R. T. Iaochite e S. Bortolucci.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

O Projeto Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência (PIBID) tem por objetivo a inserção de estudantes de licenciaturas no contexto das escolas públicas. O PIBID da Educação Física UNESP Rio Claro aborda temas que perpassam a aquisição de um estilo de vida saudável na escola, pois acredita-se que os hábitos e conhecimentos aprendidos pelas crianças durante a vida escolar podem se estender à vida toda. O objetivo do estudo foi analisar os níveis de Aptidão Física relacionados à Saúde (ApFS) de estudantes em uma das duas escolas participantes do PIBID de Rio Claro - SP. A amostra foi composta por 248 escolares, sendo 120 meninas e 128 meninos de 11 a 15 anos do Ensino Fundamental II. Para determinar o nível de ApFS foram realizados os testes flexibilidade (sentar-e-alcançar) e resistência cardiorrespiratória (corrida/caminhada de nove minutos). Foram utilizados pontos de corte para critérios de saúde indicados pela literatura. Os resultados encontrados foram: 70,8% das meninas estão em níveis adequados de ApFS para o componente da flexibilidade em comparação com 59,4% dos meninos, para o componente de resistência cardiorrespiratória 29,2% das meninas e 35,9% dos meninos se encontram em níveis desejados de ApFS, não chegando nem a 50% dos alunos o que desperta preocupação. Os resultados mostram que as meninas tiveram um melhor desempenho no teste de flexibilidade enquanto os meninos no teste de resistência cardiorrespiratória, como apresentados em literatura. Considerando as características das aulas de educação física escolar, e pensando no desenvolvimento de aulas ligadas ao ensino e aquisição de hábitos para um estilo de vida saudável, a estratégia do PIBID para reverter essa realidade será a de desenvolver conhecimentos, junto aos alunos da escola, que visem a autorregulação para a prática regular de atividade física e a alimentação saudável, no sentido de que se tornem autônomos no controle desses comportamentos, tornando a manutenção da ApFS a momentos extra escolar, além dos oportunizados em aulas. Acrescenta-se ainda a necessidade do envolvimento da comunidade escolar junto a esta intervenção para que os resultados sejam atingidos conforme as expectativas traçadas pelo estudo.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.