Perfil Eletrocardiográfico dos Atletas Integrantes da Equipe Brasileira dos XI Jogos Paraolímpicos de Sydney 2000

Por: Marcelo Bichels Leitão.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte - v.8 - n.3 - 2002

Send to Kindle


Resumo

O esporte paraolímpico tem despertado o interesse da comunidade científica devido à diversidade de situações encontradas em seus atletas. Contudo, existe atualmente uma carência de informações sobre parâmetros clínicos e fisiológicos referentes a atletas portadores de deficiências. Este trabalho tem como objetivo descrever as características eletrocardiográficas encontradas nos atletas da delegação brasileira que participou dos XI Jogos Paraolímpicos de Sydney 2000. Foram avaliados 60 atletas, sendo 50 do sexo masculino e 10 do sexo feminino. Todos estes atletas foram submetidos a uma anamnese e a um exame físico, seguidos de eletrocardiograma de repouso (ECG), teste ergométrico (TE) e quando necessário de ecocardiograma (ECOC). De acordo com os resultados do ECG os indivíduos foram classificados em uma de três situações: ECG normal (N = 31), ECG de Atleta (N = 26) ou ECG anormal (N = 3). Não foram observados eventos anormais no TE de nenhum atleta. Os três indivíduos que apresentaram ECG anormal foram submetidos a ECOC que se mostrou normal em todas as situações

Endereço: http://www.scielo.br/pdf/rbme/v8n3/v8n3a07.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.