Perfil Epidemiológico da Obesidade em Crianças: Relação Entre Televisão, Atividade Física e Obesidade

Por: Alexandre Palma e Ana Paula de Almeida Amaral Pimenta.

Revista Brasileira de Ciência & Movimento - v.9 - n.4 - 2001

Send to Kindle


Resumo

Aparentemente, é possível que a escolha por um modo de vida mais sedentário possa estar colaborando para o aumento da obesidade infantil. Deste modo, o principal objetivo do presente trabalho foi investigar a prevalência da obesidade em crianças entre 10 a 11,9 anos, alunos da 4a série do Ensino Fundamental do Colégio Pedro II, Unidade Tijuca I, do turno da manhã. A amostra constou de 56 crianças, de ambos os sexos, deste grupo escolar. Foram realizadas medidas antropométricas com as crianças e questionários com seus pais. No levantamento sobre a obesidade, pôde-se observar que a média do percentual de gordura ficou em 25,22 (± 10,91), e mais da metade da amostra situou-se dentro das faixas não desejáveis, indicando uma alta prevalência da obesidade. Os dados mostraram, ainda, uma grande tendência ao sedentarismo. A média de tempo semanal dedicado à atividade física perfez um total de 476,25 minutos, por criança, enquanto que a média de tempo destinado a assistir à televisão foi de 1.103,03 minutos. Apesar da falta de consenso na literatura, os resultados do presente estudo demonstraram uma elevada prevalência da obesidade, na amostra escolhida, e uma alta e significante associação entre o tempo dedicado à televisão e essa prevalência (p<0,01). PALAVRAS-CHAVE: obesidade infantil; sedentarismo infantil; atividade física e televisão.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.