Perfil Molecular de Expressão de Proteínas Envolvidas no Transporte de Ca2+ na Musculatura Esquelética em Modelo Genético de Cardiomiopatia Induzida Por Hiperatividade Simpática

Por: Aline Villa Nova Bacurau, Carlos Roberto Bueno Júnior e .

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

A hiperatividade simpática na insuficiência cardíaca (IC) leva a alterações na função
e ultraestrutura cardíacas que são acompanhadas por mau prognóstico. Embora os
efeitos deletérios cardíacos da hiperatividade simpática tenham sido primeiramente
reportados, sabe-se que ela também leva à disfunção e à atrofia da musculatura
esquelética (ME), contribuindo para quadros de caquexia na IC. No entanto, pouco
se conhece sobre o possível envolvimento do Ca2+ nos prejuízos da IC observados
na ME. No presente estudo foram utilizados camundongos nocautes para os
receptores α2A/α2C adrenérgicos (KO), que apresentam IC associada a 50% de
mortalidade aos 7 meses de idade e hiperatividade simpática. Objetivo: avaliar a
tolerância ao esforço físico e a expressão de proteínas envolvidas no transporte de
Ca2+ nos músculos sóleo e plantar de camundongos controle (WT) e KO aos 3, 5
e 7 meses de idade, quando a cardiomiopatia se encontra nos estágios inicial,
moderado e avançado, respectivamente. Métodos: utilizou-se camundongos machos
C57BL6 WT (n=34) e KO (n=42).A avaliação da tolerância ao esforço foi realizada
em teste progressivo máximo em esteira rolante. A expressão das proteínas Ca2+-
ATPase do retículo sarcoplasmático (SERCA2) e trocador sódio-cálcio (NCX),
ambas envolvidas no transporte de Ca2+, foi quantificada por "Western Blotting".
Resultados: observou-se intolerância ao esforço nos camundongos KO quando
comparados aos WT somente a partir dos 5 meses de idade. Nessa mesma faixa
etária há redução na expressão de SERCA2 (20%) e NCX (58%) no músculo plantar
dos camundongos KO vs WT. Já no músculo sóleo não se observou modificação
da expressão destas proteínas. Aos 7 meses de idade, quando a cardiomiopatia é grave,
os camundongos KO apresentaram redução ainda maior na expressão de SERCA2 (50%)
e manutenção na redução de NCX (53%) quando comparados aos camundongos WT.
Interessantemente, nessa idade a alteração na expressão da SERCA2 se estendeu ao
músculo sóleo, com redução de 38% vs WT. Conclusão: a intolerância ao esforço físico é
acompanhada de alterações na expressão de proteínas envolvidas no transporte do Ca2+.
Como o Ca2+ é o principal mensageiro intracelular e está relacionado a várias funções da
ME, foi interessante notar que a redução de SERCA e NCX no músculo plantar, que é
principalmente composto de fibras brancas e dependentes de Ca2+, precede a observada
no músculo sóleo (fibras vermelhas) nesse modelo genético de IC. Apoio: CNPq e
FAPESP.

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/64_Anais_p277.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.