Perfis Fisiológicos e Cinemáticos de Atletas de Elite do Basquetebol

Por: Anderson Calderani Junior.

2015 07/07/2015

Send to Kindle


Resumo

O objetivo geral deste estudo é descrever as atividades de alta intensidade em jogos de competição, baseado em dados de velocidade, e variáveis de carga interna, baseado na resposta de Frequência Cardíaca (FC) de jogadores, enquanto que o objetivo especifico é encontrar diferenças entre posições e quartos. Foram utilizadas amostras de dados de FC e posição em função do tempo de 10 jogadores profissionais do sexo masculino em 6 jogos de basquetebol de uma equipe brasileira de alto nível. Na coleta da FC foram utilizados monitores de frequência cardíaca com transmissão sem fio da marca Polar®, modelo Team System, com frequência de 0,2 Hz. As partidas foram registradas a partir de quatro câmeras filmadoras digitais e, ao final de cada partida, as sequências de imagens de 30 Hz adquirida da câmera foram convertidas para o formato AVI e analisadas a uma frequência de 7.5 Hz utilizando o sistema DVideo (Campinas, Brasil). Foram quantificadas o tempo gasto por zonas de porcentagem, em função da FCmax e por faixa de Velmax, recuperação da FC durante Bola Morta, picos de velocidade e intervalo entre picos de velocidade com a mesma intensidade. Os resultados mostram que jogadores podem estar submetidos a atividades de maiores intensidades em comparação aos estudos na literatura. Há ainda uma tendência de os pivôs realizarem mais deslocamentos com intensidades próximas a suas velocidades máximas e de os armadores realizarem mais deslocamentos em intensidades intermediarias, caracterizando um esforço continuo. As diferenças encontradas nos quartos mostram que há uma tendência de aumento das atividades de baixa intensidade conforme o desenvolvimento do jogo. Dados da taxa de redução de FC mostrou que os jogadores tendem a ter sua melhor performance aeróbia no primeiro e último quarto, onde as taxas de redução foram maiores. Fatores como o maior número de lances livres e tempos técnicos podem ter contribuído para a maior média na taxa de redução durante esses quartos. A taxa de redução analisada neste estudo para as diferentes posições não apresentou nenhuma diferença. Na quantificação da intensidade de esforço a partir dois tipos de variáveis analisadas, a FC se mostrou como um parâmetro de intensidade acumulativo enquanto que a velocidade se mostra como uma parte da intensidade de esforço que se é realizado em geral, onde não há relação linear entre as duas variáveis.

Endereço: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000955424&opt=1

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.