Perspectivas da Qualidade de Vida no Trabalho Noturno: Frentistas de Postos de Gasolina de Florianópolis-SC

Por: Silésio Golçalves dos Santos e .

VII Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

O trabalho realizado em horário noturno é considerado mais penoso que o executado no horário diurno. Écquase impossível visualizar a sociedade nos dias atuais sem a existência do trabalho em turnos. São inúmeras as razões para a existência de trabalho em horários fracionados, mas se resume em uma só palavra: "dinheiro". O objetivo do trabalho foi averiguar questões relativasà qualidade de vida de cinqüenta e oito(n=58) trabalhadores frentistas de cinqüenta e um postos de gasolina que funcionam vinte e quatro horas em Florianópolis. O instrumento de medida foi um questionário com dados de caracterização da amostra, prontidão para a atividade física, atividade de lazer, que respondido forneceu indicadores para a análise. Pode-se perceber o seguinte perfil do frentista que trabalha em horário noturno: todos são do sexo masculino, com média de idade de 27,7 anos, sendo 71% casados e 51% fizeram o ensino fundamental . São pessoas que podem submeter-se à atividades físicas, muito embora não o façam, pôr não terem tempo; 58% têm dificuldade para dormir bem e o que mais atrapalha seu sono é o barulho. Trabalham em média 6,03 dias pôr semana e 9,29 horas pôr dia. No seu tempo livre 83% dormem ou ficam em casa, 62% de suas esposas trabalham fora de casa em horário comercial. Após analisar-se os dados do grupo pesquisado é correto afirmar que estes trabalhadores tem a qualidade de vida bastante reduzida, e desta forma propõe-se mecanismos compensadores para a melhoria dessa qualidade de vida.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.