Planejamento Estratégico Como Um dos Fatores de Sucesso das Organizações Esportivas: Um Estudo Sobre os Clubes Esportivos Brasileiros Que Atuam no Contexto Olímpico

Por: Guilherme Kioshi Yamanaka, e Paulo Henrique Marques Araujo.

Motrivivência - v.32 - n.63 - 2020

Send to Kindle


Resumo

Resumo

O sucesso de uma organização esportiva depende de diversos fatores, um deles é a estruturação de um planejamento estratégico. Este estudo teve como objetivo principal identificar a existência e analisar importância do planejamento estratégico nos principais clubes esportivos brasileiros que atuam em nível Olímpico. Como resultado, foi possível constatar que os clubes brasileiros analisados possuem planejamentos e seguem com afinidade e coerência recomendações existentes na literatura. E este fato é um indício que o planejamento é o primeiro e um dos passos para se alcançar sucesso, seja ele administrativo ou esportivo. Outros fatores acabam por existir e influenciar o modo operante de organizações brasileiras, como neste caso, clubes esportivos. Por outro lado, é fundamental que o planejamento estratégico, passe a existir no esporte brasileiro, a fim de que este tenha um maior e melhor profissionalismo em termos organizacionais.

Referências

ANDERSEN, Svein S.; RONGLAN, Lars Tore. Same ambitions – different tracks: a comparative perspective on Nordic elite sport. Managing Leisure, v. 17, n. 2–3, p. 155–169, 2012.

BARROS, José Arthur; MAZZEI, Leandro Carlos. Gestão de Clubes Esportivos. In: MAZZEI, Leandro Carlos; BASTOS, Flávia da Cunha (org.). Gestão do Esporte no Brasil: Desafios e Perspectivas. São Paulo: Ícone Editora, 2012. p. 91–118.

BERGSGARD, Nils Asle; HOULIHAN, Barrie; MANGSET, Per; NODLAND, Svein Ingve; ROMMETVEDT, Hilmar. Sport Policy: A comparative analysis of stability and change. Oxford: Butterworth-Heinemann, 2007.

BRASIL. Lei no 13.756, de 12 de dezembro de 2018 - Dispõe sobre o Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP), sobre a destinação do produto da arrecadação das loterias e sobre a promoção comercial e a modalidade lotérica denominada apostas de quota fixa. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2018/Lei/L13756.htm#art37

CARDIA, Wesley. Marketing esportivo e administração de arenas. São Paulo: Atlas, 2014.

CERTO, Samuel C.; PETER, J. Paul. Administração estratégica. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005.

CLUBE DE REGATAS DO FLAMENGO. Planejamento Estratégico 2013-2020. Rio de Janeiro: Ernst & Young, 2015.

COMITÊ BRASILEIRO DE CLUBES. Diagnóstico da origem da formação dos atletas nas Olimpíadas Rio 2016. 2016. Disponível em: http://cbclubes.org.br/downloads.php?tipo=paginas&id=33. Acesso em: 7 fev. 2017.

CORREIA, Abel; BISCAIA, Rui. Gestão do Desporto, Compreender para Gerir. Lisboa: Faculdade de Motricidade Humana, 2019.

DE BOSSCHER, Veerle; SHIBLI, Simon; WESTERBEEK, Hans; VAN BOTTENBURG, Maarten. Successful Elite Sport Policies: An international comparison of the SportsPolicy factors Leading to International Sporting Success (SPLISS 2.0) in 15 nations. Aachen: Meyer & Meyer Verlag, 2015.

DICIONÁRIO ONLINE DE PORTUGUÊS. Significado de Profissionalização. [s. l.], 2020. Disponível em: https://www.dicio.com.br/profissionalizacao/. Acesso em: 29 fev. 2020.

ESPORTE CLUBE PINHEIROS. Plano Diretor de Desenvolvimento 2016-2030. São Paulo: Log e Print Gráfica e Logística S.A., 2017.

HOULIHAN, Barrie; GREEN, Mick. Comparative Elite Sport Development. Systems, Structures and public policy. London: Elsevier, 2008.

LI, Ming; PITTS, Brenda G.; QUARTERMAN, Jerome. Research methods in sport management. Morgantown: Fitness Information Technology, 2008.

LINHARES, Humberto Vinicius Queiroz. Regime jurídico dos contratos no Sistema “S” (SENAI, SENAC, SESI e SESC). 2014. - Instituto de Direito Público, Brasília, 2014.

MARQUES, Renato Francisco Rodrigues; GUTIERREZ, Gustavo Luis; MONTAGNER, Paulo Cesar. Novas configurações socioeconomicas do esporte na era da globalização. Journal of Physical Education, v. 20, n. 4, p. 637–648, 2009.

MARRA, Renan. Com dinheiro público, clubes formam maioria dos medalhistas brasileiros - Olimpíada no Rio | Folha. 2016. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/esporte/olimpiada-no-rio/2016/08/1807260-com-dinheiro-publico-clubes-formam-maioria-dos-medalhistas-brasileiros.shtml. Acesso em: 8 fev. 2017.

MATTAR, Fauze Najib; MATTAR, Michel Fauze. Gestão de Negócios Esportivos. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013.

MATTAR, Michel Fauze. Na trave: o que falta para o futebol brasileiro ter uma gestão profissional. Rio de Janeiro: Elsevier Campus, 2014.

MAXIMIANO, Antônio César Amaru. Teoria Geral da Administração: da revolução urbana à revolução digital. 6a ed. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

MAZZEI, Leandro Carlos; BASTOS, Flávia da Cunha. Gestão do Esporte No Brasil: Desafios e Perspectivas. São Paulo: Ícone Editora, 2012.

MAZZEI, Leandro Carlos; ROCCO JÚNIOR, Ary José. Um ensaio sobre a Gestão do Esporte: um momento para a sua afirmação no Brasil. Revista de Gestão e Negócios do Esporte, v. 2, n. 1, p. 96–109, 2017.

MEIRA, Tatiana de Barros; BASTOS, Flávia da Cunha; BÖHME, Maria Tereza Silveira. Análise da estrutura organizacional do esporte de rendimento no Brasil: um estudo preliminar. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 26, n. 2, p. 251–262, 2012.

MINAS TÊNIS CLUBE. Gestão Estratégica. 2017. Disponível em: https://www.minastenisclube.com.br/governanca/gestao-estrategica. Acesso em: 4 fev. 2020.

MINTZBERG, Henry; AHLSTRAND, Bruce; LAMPEL, Joseph. Safári de estratégia: um roteiro pela selva do planejamento estratégico. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.

OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças de. Planejamento Estratégico: Conceitos, Metodologias e Práticas. 22. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

PIRES, Gustavo Manuel Vaz da Silva. Gestão do Desporto: Desenvolvimento Organizacional. Porto: APOGESD, 2005.

PIRES, Gustavo Manuel Vaz da Silva; SARMENTO, José Pedro Sarmento de Rebocho Lopes. Conceito de Gestão do Desporto. Novos desafios, diferentes soluções. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, v. 1, n. 1, p. 88–103, 2001.

QUEIRÓS, Paula; GRAÇA, Amândio. A análise de conteúdo (enquanto técnica de tratamento de informação) no âmbito da investigação qualitativa. In: MESQUITA, Isabel; GRAÇA, Amândio (org.). Investigação qualitativa em desporto - vol. 2. Porto: CIFIID, 2013. p. 113–149.

ROCCO JÚNIOR, Ary José. Marketing e Gestão do Esporte. São Paulo: Atlas, 2012.

SESI-SP. Planejamento Estratégico 2007-2011. São Paulo: Sesi-SP, 2007.

SOTIRIADOU, Popi; DE BOSSCHER, Veerle (org.). Managing High Performance Sport. London; New York: Routledge, 2013.

TEIXEIRA, Marcelo Resende et al. O programa bolsa atleta no contexto esportivo nacional. Motrivivência, v. 29, n. 0, p. 92–109, 2017.

VANCE, Patrícia de Salles; NASSIF, Vânia Maria Jorge; MASTERALEXIS, Lisa Pike (org.). Gestão do Esporte: casos brasileiros e internacionais. Rio de Janeiro: LTC - Grupo Gen, 2015.

VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 12. ed. São Paulo: Editora Atlas, 2010.

ZENONE, Luiz Claudio. Marketing Futebol Clube. São Paulo: Atlas, 2014.

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/view/2175-8042.2020e71981

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.