Políticas Públicas de Mobilidade Urbana e Práticas Corporais: Repercussões do Sistema de Bicicletas Compartilhadas

Por: Bérgson Nogueira de Oliveira, , José Paulo Gurgel Teixeira e Wellington Gomes Feitosa.

Motrivivência - v.28 - n.49 - 2016

Send to Kindle


Resumo

O estudo procurou analisar as percepções dos usuários quanto à implantação do projeto de bicicletas compartilhadas em Fortaleza, Ceará. Trata-se de uma pesquisa qualitativa em que foram entrevistados 11 usuários, sistematizada por meio da análise de conteúdo do tipo análise temática. Os resultados apontam que a bicicleta compartilhada tem se tornado um meio de deslocamento alternativo ao transporte público deficiente, mas que seu papel como instrumento de lazer prevalece; encontrou-se a percepção de que o uso da bicicleta de forma contínua traz benefício à saúde, bem como a sensação de segurança. Todavia, há concentração de estações em poucos pontos da cidade e dificuldades de acesso em horário de pico. Conclui-se que o projeto de bicicletas compartilhadas no cenário deste estudo não contempla as demandas a elas atribuídas de mobilidade urbana; entretanto, fomenta o desenvolvimento de práticas corporais.

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/view/2175-8042.2016v28n49p71

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.