Postura Corporal e Tempo Laboral: da Teoria Mecânica Para a Teoria dos Sistemas Dinâmicos.

Por: Fernanda Martins Marquesan.

66 páginas. 1993 08/06/1993

Send to Kindle


Resumo

A postura corporal é uma questão discutida e estudada por muitos especialistas. É considerada uma problemática social pelo número de pessoas que são afastadas do trabalho todos os anos com problemas de dores nas costas. Cailliet (1979) salienta que 80% das pessoas da sociedade atual sofrem ou já sofreram com problemas na coluna vertebral. Em função desta problemática, usualmente, recomenda-se a manutenção de uma postura ereta e rígida com o objetivo de manter as curvaturas normais da coluna vertebral. A manutenção desta postura está embasada em regras mecânicas de desgaste articular e economia de energia. No entanto, surge na área do comportamento motor uma tendência a orientar a questão da postura corporal sob um novo prisma de análise. Esta nova visão argumenta que a postura deve ser tratada como uma questão individual, analisada em tarefas específicas e contextualizada em um ambiente determinado. Na metodologia, do tipo exploratório-descritivo, buscou-se analisar a associação dos desvios posturais, alterações musculares e dores nas costas, de trabalhadores industriais de diferentes setores de uma metalúrgica de Porto Alegre, a fim de discutir a abordagem da questão postural. Um dos setores, desta indústria, totalizava 118 funcionários, dos quais 22 foram analisados, estes trabalhavam sentados e realizavam o lixamento do material. No outro setor, dos 50 funcionários, 18 foram analisados, estes trabalhavam na posição em pé. Para a avaliação postural estática dos indivíduos, procedeu-se conforme Souchard (1984). Para a avaliação muscular, segundo Kendall e McCreary (1987) e Flexi-Teste de Araújo (1986). E, finalmente, questionou-se os indivíduos, a respeito da presença ou não de dores nas costas. As variáveis analisadas em cada setor foram divididas em tempos de serviço menores e iguais a três anos e maiores que três anos. A análise estatística para p < 0,05 nos testes de Fischer e Qui-Quadrado demonstraram que o grupo amostrado no setor que trabalha em pé, apresenta um resultado significativo nas variáveis coluna vertebral (avaliação postural estática) e musculatura paravertebral (avaliação muscular). As outras variáveis analisadas não apresentam resultado significativo. Os resultados encontrados neste trabalho levam a questionar a forma de estudo tradicional da postura corporal, uma vez que esta visão associa os desvios posturais à atitude laboral, e as posturas incorretas às situações dolorosas, e estes fatos não ficam caracterizados nos resultados deste estudo.

Endereço: http://www.nuteses.temp.ufu.br/tde_busca/processaPesquisa.php?pesqExecutada=2&id=1116&listaDetalhes%5B%5D=1116&processar=Processar

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.