Potência Aeróbia de Praticantes de Handebol em Cadeira de Rodas Através de Um Teste de Quadra

Por: Anselmo de Athayde Costa e Silva, , Fernando Rosch de Faria, José Irineu, Lucinar J. Forner Flores, Luis Felipe Castelli Correia de Campos, Luiz Gustavo de Souza Pena, Mariane Borges, Natacha Manchado Pereira e Rafael Botelho Gouveia.

Caderno de Educação Física e Esporte - v.9 - n.17 - 2010

Send to Kindle


Resumo

Esse estudo teve por objetivo avaliar a potência aeróbia de praticantes de Handebol em Cadeira de Rodas, através de um método de quadra (teste de 12 minutos). A amostra desse estudo foi de nove sujeitos (n=9), acometidos por diversas deficiências, tais quais sequela de poliomielite (n=4), lesão medular (n=3), amputação de membro inferior (n=1) e síndrome de Charcot-Marie Tooth (n=1). O teste consistiu em percorrer 12 minutos o percurso de 25 x 15 metros utilizando-se da cadeira de rodas específica para a prática esportiva e, cada atleta fez uso de sua cadeira. Através da distância percorrida, foi calculado o valor estimado do VO2máx, conforme protocolo de Franklin et al. (1990). A análise estatística foi realizada através do SPSS 9.0 com valor de p<0,05. O valor médio de VO2máx encontrado foi 22,79 (±5,12) ml.kg.min-1, com valores mínimo de 12,2 e máximo 29,47 ml.kg.min-1. Em relação à frequência cardíaca foram encontradas diferenças significativas entre os momentos de repouso, final e de recuperação do teste. Esses resultados, de acordo com a classificação de Franklin et al. (1990), demonstram um nível médio de condicionamento para o grupo estudado.

Endereço: http://e-revista.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/4534

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.