Prática de Treinamento Resistido Para Crianças e Adolescentes: Qual a Percepção de Profissionais de Educação Física e Alunos?

Por: Daniel Vieira Pinto, Júlio César Chaves Nunes Filho, Lianna Cavalcante Pereira, Marília Porto Oliveira Nunes, Robson Salviano de Matos e Wellington Gomes Feitosa.

Arquivos de Ciências do Esporte - v.7 - n.2 - 2019

Send to Kindle


Resumo

Introdução: O treinamento resistido (TR) está em constante crescimento no Brasil, acompanhado pelo aumento dos jovens nesta modalidade. Objetivo: verificar a percepção de profissionais e alunos sobre a prática de TR em jovens. Métodos: A amostra foi de 139 participantes, divididos em dois grupos: G1 (n=77) Profissionais de Educação Física (EF), e G2 (N=62) alunos adultos de TR, ambos oriundos de seis centros de treinamento esportivo. Os participantes responderam a um questionário semiestruturado. Os dados foram analisados através dos testes Qui-Quadrado e Spearman adotando valor de p<0,05. Resultados: Quando analisada a idade ideal para o início da prática de TR, 69%(n=53) do G1 e 26%(n=16) do G2 responderam a opção de 12 anos, quanto que 31%(n=24) do G1 e 74%(n=46) do G2 a opção foi 16 anos, apresentando associação estatisticamente significativa (p=0,03). Houve correlação significativa entre a idade do G2 com a idade que eles permitiam o início do TR pelos jovens (r=0,533 e p=0,03). Quando questionado a prática de TR em jovens com ou sem supervisão de um profissional, o resultado foi significativo (p=0,001) quando associado a resposta de G1(48%) e G2(14%) para opção “sistema convencional” e (52%) e (86%) sob supervisão. Conclusão: A pesquisa apontou que há uma correlação positiva entre a idade da amostra e a opinião sobre a faixa etária ideal para o início da prática do TR de crianças e adolescentes.

Referências

Grzelczak MT, Souza WC de, Lima VA de, Mascarenhas LPG. Qualidade de vida, sedentarismo e o impacto econômico do diabético, no sistema municipal de saúde. Multitemas. 8 de maio de 2018;225–42.

Silva RS, Silva I, Silva RA, Souza L, Tomasi E. Atividade física e qualidade de vida. Ciênc E Saúde Coletiva. 2010;15(1):115–20.

Alves US. Não ao sedentarismo, sim à saúde: contribuições da Educação Física escolar e dos esportes. Mundo Saúde 1995. 2007;464–9.

Costa PR de F, Assis AMO, Silva M da CM da, Santana MLP de, Dias JC, Pinheiro SMC, et al. Mudança nos parâmetros antropométricos: a influência de um programa de intervenção nutricional e exercício físico em mulheres adultas. Cad Saúde Pública. agosto de 2009;25(8):1763–73.

Gallahue DL, Ozmun JC, Neira MG, Araújo MA da SP, Ribeiro J de M, Silva JPS e. Compreendendo o desenvolvimento motor: bebês, crianças, adolescentes e adultos. São Paulo: Phorte; 2005.

Ghoshal S. Global Strategy : 2016;8(5):425–40.

Nascimento S. A importância da avaliação fisica. Diário Viseu. 2008;173–84.

Chaves CRMDM, De Oliveira CQ, De Britto JAA, Elsas MICG. Exercise testing, aerobic and strength training for adolescents with cystic fibrosis: A literature review . Rev Bras Saude Materno Infant. 2007;7(3):245–50.

Tereza M, Rosa S. O Treinamento De Força E Sua Eficiência Como Meio De. 2005;9(2):129–34.

Marchi Netto FL. Aspectos Biológicos e Fisiológicos do Envelheciemtno Humano e suas Implicações na Saúde do Idoso. Pensar Prática. 2006;7(1):75–84.

Benedet J, Freddi JC, Luciano AP, Almeida FDS, Silva GL da, Hinnig PDF, et al. Treinamento resistido para crianças e adolescentes. ABCS Health Sci. 2013;38(1):203–7.

Azevedo Júnior MR, Araújo CLP, Pereira FM. Atividades Físicas e Esportivas na Adolescência: mudanças de preferências ao longo das últimas décadas. Rev Bras Educ Física E Esporte. 2006;20(1):51–8.

Village G, Fitness COSMA. Strength Training by Children and Adolescents. Pediatrics. 2008;107(6):1470–2.

Miller MG, Cheatham CC, Patel ND. Resistance Training for Adolescents. Vol. 57, Pediatric Clinics of North America. 2010. p. 671–82.

Webb DR. Strength training in children and adolescents. Pediatr Clin North Am. 1990;37(5):1187–210.

Tsolakis CK, Vagenas GK, Dessypris AG. Strength adaptations and hormonal responses to resistance training and detraining in preadolescent males. J Strength Cond Res. 2004;18(3):625–9.

Faigenbaum AD, Kraemer WJ, Blimkie CJR, Jeffreys I, Micheli LJ, Nitka M, et al. Youth resistance training: updated position statement paper from the national strength and conditioning association. J Strength Cond Res. agosto de 2009;23(5 Suppl):S60-79.

Micheli. Team Physician Manual (2nd Edition) 2006 | FIMS - International Federation of Sports Medicine [Internet]. [citado 28 de abril de 2020]. Disponível em: https://www.fims.org/knowledge/publications/team-physician-manual-2nd-edition-2006/

Frois RRS, Pereira LA, Cardeal CM, Asano RY, Bartholomeu Neto J, Oliveira JF, et al. Treinamento de Força para Crianças: Uma Metanálise Sobre Alterações do Crescimento Longitudinal, Força e Composição Corporal. Rev Bras Ciênc E Mov. 2014;22(1):137–49.

Mayorga D. Efecto Del Entrenamiento Resistido Sobre La Fuerza Y Resistencia Muscular En Escolares Prepuberes Sanos Una Revisión Sistemática. Rev Transm Conoc Educ Salud. 2011;3(1):33–54.

American College of Sports Medicine, Stand P. Progression Models in Resistance Training for Healthy Adults. Med Sci Sports Exerc. 2009;41(3):687–708.

Miranda AC da S, Paiva F da S, Barbosa MB, Souza MB de, Simão R, Maior AS. Respostas do duplo produto envolvendo séries contínua e fracionada durante o treinamento de força. Rev Mackenzie Educ Física E Esporte [Internet]. 2006 [citado 28 de abril de 2020];5(1). Disponível

em: http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/remef/article/view/1977

Campos M de A. Musculação. Diabéticos,osteoporóticos,idosos,crianças,obesos. Edição: 4a. Sprint; 2000.

Rowland. Fisiologia do Exercicio na Criança - 2a Ed. - Saraiva [Internet]. [citado 28 de abril de 2020]. Disponível em: https://www.saraiva.com.br/fisiologia-do-exercicio-na-crianca-2-ed-2576754/p.

Fleck SJ, Kraemer WJ. Fundamentos do treinamento de força muscular. 2 ed. Porto Alegre: Artmed; 2006.

Ruas CV, Brown LE, Pinto RS. Treino de força para crianças e adolescentes: adaptações, riscos e linhas de orientação. Braz J Mot Behav [Internet]. 13 de setembro de 2014 [citado 28 de abril de 2020];8(1).

Disponível em: http://socibracom.com/bjmb/index.php/bjmb/article/view/50.

Barros J. Treinamento contra resistido na adolescência. Corpus et Scientia 2009;5(2).

Endereço: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/aces/article/view/3568

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.