Prática Habitual de Atividade Física, Hábitos Alimentares, Modulação Autonômica e Indicadores Antropométricos Estão Associados à Prevalência de Pressão Arterial Elevada?

Por: Diego Destro Christofaro, Gisele Lombardi, Juliano Casonatto e Rômulo Araújo Fernandes.

Revista da Educação Física - UEM - v.27 - n.1 - 2016

Send to Kindle


Resumo

Objetivo: Analisar a associação entre pressão arterial elevada, obesidade geral e abdominal, indicadores de atuação autonômica, prática habitual de atividade física e hábitos alimentares na rede pública de ensino de Londrina/PR. Métodos: Foram avaliados 189 sujeitos (75 masculino e 114 feminino), com idade entre 10 e 17 anos. Foram realizadas avaliações antropométricas, além da pressão arterial de repouso, atuação autonômica, hábitos alimentares e prática habitual de atividade física. O teste qui-quadrado foi aplicado para verificar associações da pressão arterial (variável dependente) com as demais variáveis. Aplicou-se também a regressão de Poisson para identificação da magnitude da associação. Resultados: Obesidade e obesidade abdominal foram associadas à pressão arterial elevada. Indivíduos com obesidade abdominal obtiveram 2,3 vezes mais chance (P=0,002) de apresentarem pressão arterial elevada. Conclusão: Adolescentes com obesidade abdominal possuem aproximadamente duas vezes mais chances de apresentarem pressão arterial elevada, independente dos níveis de obesidade.

Endereço: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/view/27854

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.